A leishmaniose é uma zoonose, grande problema de saúde pública e de acordo com a OMS está entre as seis endemias consideradas prioritárias no mundo. É uma doença de comunicação compulsória que precisa ser notificada. Dos casos registrados na América Latina, 90% ocorrem no Brasil.

A Leishmania donovani é um protozoário que é transmitido através da picada da fêmea do mosquito-palha ou birigi (flebótomo). O reservatório animal da leishmania são principalmente os cachorros, raposas e roedores.

A leishmania visceral também é conhecida como calazar ou febre dundun. É uma doença sistêmica, caracterizada por febre intermitente com semanas de duração, hepatoesplenomegalia, fraqueza, perda de apetite, anemia, diarreia e sangramentos. Quando não tratada, pode evoluir para óbito. Na maioria dos casos ocorre em área rural, mas está se expandindo para a área urbana.

A Anvisa aprovou recentemente os kits IF: Leishmania donovani IgG e IF: Leishmania donovani IgM (catálogo: FI 2231) da Euroimmun. Os kits de imunofluorescência têm como substrato esfregaços de Leishmania donovani que são incubados com amostra de pacientes, levando a resultados confiáveis. Doadores de sangue devem ser testados para anticorpos contra leishmania para minimizar o risco de infecção via transfusão de sangue.

Imagens de imunofluorescência positiva para Leishmania donovani – Kits Euroimmun

Tags:

Euroimmun, kits de imunofluorescência, leishmaniose

Compartilhe: