Estudo publicado pela Universidade da Georgia em 22 de março reuniu um conjunto completo de dados diagnósticos, incluindo intensidade de infecção, de 258 crianças de cinco escolas primárias de alta e baixa transmissão para esquistossomose na África.

Uma comparação cruzada de sensibilidade, especificidade, valores preditivos positivos e negativos foi realizada entre 4 metodologias, incluindo a detecção de antígeno CCA por teste rápido.

Fonte: Surveillance of intestinal schistosomiasis during control: a comparison of four diagnostic tests across five Ugandan primary schools in the Lake Albert region

Conforme estudo, o método Kato-Katz ainda pode ser promovido como aplicável ao campo e apropriado em ambientes de alta endemia, onde a prevalência e a intensidade da infecção são altas. No entanto, a metodologia tem vários déficits quando aplicado a configurações de transmissão inferiores, como exemplificado por algumas escolas amostradas.

À medida que os programas de controle avançam em direção à eliminação da doença, a metodologia Kato-Katz se torna inadequada e não é capaz de fornecer informações epidemiológicas de qualidade suficiente para o mapeamento preciso dos focos de doenças.

Na ausência de um teste de diagnóstico padrão ouro e complexidade do cenário epidemiológico o método de detecção de urina-CCA poderia ser um padrão ‘livre de erros’ com diagnósticos de sensibilidade (99,1%) 97,3% – 100% e especificidade de (89,3%) 80,9% – 97,6%.

A ECO Diagnóstica possui o teste rápido imunocromatográfico para detecção do antígeno CCA para Schistosoma mansoni e outras espécies em amostras de urina. O teste detecta o antígeno CCA que está presente em todas as espécies de Schistosoma e são liberados pelo parasita adulto na urina, em apenas 25 minutos.

Para ter acesso ao estudo completo, visite o site da empresa.

Tags:

antígeno CCA, ECO Diagnóstica, esquistossomose

Compartilhe: