Oportunidade no projeto “Sinalização por íons de cálcio em tripanossomatídeos”, na Unicamp, tem prazo de inscrição até 30 de outubro

Foto: CDC / Divulgação Fapesp

A Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp dispõe de uma vaga de pós-doutorado, com Bolsa da FAPESP, para o projeto “Sinalização por íons de cálcio em tripanossomatídeos”. Os interessados devem se inscrever até dia 30 de outubro de 2017.

O projeto faz parte do FAPESP-São Paulo Excellence Chair (SPEC) e tem o objetivo de caracterizar o receptor de inositol 1,4,5-trisfosfato localizado nos acidocalcisomas de tripanossomas e sua relação com o transportador de cálcio mitocondrial na regulação da sinalização por íons de cálcio.

Os candidatos devem ter doutorado na área biológica e antecedentes em pesquisa com tripanossomas, além de experiência comprovada em pesquisa e trabalho de laboratório na forma de publicações em revistas no idioma inglês.

Exige-se também experiência prévia em bioquímica e biologia molecular de parasitas com ênfase em Trypanosoma cruzi ou Trypanosoma brucei, experiência em parasitologia molecular e conhecimento no uso de ferramentas em bioinformática, em clonagem de genes e em desenvolvimento de linhagens transgênicas de tripanossomas.

A candidatura deve ser feita por e-mail, enviando junto o curriculum vitae e nome de duas referências ao professor coordenador do projeto, Roberto Docampo (rdocampo@uga.edu).

Mais informações sobre a oportunidade estão aqui.

A vaga está aberta a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP no valor de R$ 7.174,80 mensais e Reserva Técnica. A Reserva Técnica de Bolsa de PD equivale a 15% do valor anual da bolsa e tem o objetivo de atender a despesas imprevistas e diretamente relacionadas à atividade de pesquisa.

Caso o bolsista de PD resida em domicílio diferente e precise se mudar para a cidade onde se localiza a instituição-sede da pesquisa, poderá ter direito a um Auxílio-Instalação. Mais informações sobre a Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP estão disponíveis aqui. Com informações da Fapesp

Tags:

Fapesp, tripanossomas, Unicamp

Compartilhe: