Depois de anos de pesquisa de cientistas da Universidade de Edimburgo, na Escócia, foi descoberto que os genes que causam a perda de cabelo chegam a 282

Depois de anos de pesquisa de cientistas da Universidade de Edimburgo, na Escócia, foi descoberto que os genes que causam a perda de cabelo chegam a 282

Há anos, cientistas de diversos países buscam respostas para compreender a calvície – uma condição que assombra homens e mulheres das mais variadas idades. Contudo, alguns estudos europeus apresentam, especificamente, a relação entre o problema e o código genético do indivíduo. Depois de anos de pesquisa de cientistas da Universidade de Edimburgo, na Escócia, foi descoberto que os genes que causam a perda de cabelo chegam a 282.

A princípio, a intenção desses estudiosos era descobrir quais os parâmetros que podem prever a calvície. Para isso, eles analisaram o DNA de mais de 52 mil homens, com idades entre 40 e 60 anos.

No entanto, apesar do resultado impressionante, não é possível afirmar que basta ter alguns dos genes que causam calvície para de fato desenvolver a condição. Isso acontece porque apenas alguns genes não possuem a capacidade de causar uma perda de cabelo tão devastadora quanto a calvície.

Sendo assim, os pesquisadores fizeram a pesquisa com inúmeras pessoas justamente para determinar com maior precisão o conjunto de fatores que levam a esse problema. Dos homens que participaram do estudo, mais de 16 mil nunca haviam sofrido com a perda de cabelo. Porém, 12 mil deles se queixaram que já apresentaram uma perda leve. Por fim, 14 mil tiveram uma queda moderada e 9,8 mil um caso de calvície crônica.

A partir desses dados, os cientistas perceberam que os homens que contavam com uma quantidade menor que a média dos 287 genes relacionados à questão tinham menos chances de ficarem carecas. De acordo com o resultado, cerca de 14% desse grupo eram calvos, e 39% ainda não haviam perdido cabelo.

Por outro lado, entre os que contavam com uma quantidade maior dos 287 genes, mais de 58% apresentavam um quadro de calvície moderada a severa. Apesar desse resultado não representar, de fato, que a calvície pode ser descoberta com algum tipo de exame de sangue que identifique genes, especialistas afirmam que a influência genética da mãe pode contribuir para que alguém fique calvo.

Eles apontam que 40 genes identificados como conectados à perda de cabelo estão no cromossomo X, ou seja, aquele que o homem herda da mãe. Nesse contexto, vale destacar que, apesar de existirem diversos tratamentos para calvície caseiros disponíveis, nenhum deles de fato têm sua eficácia comprovada.

Tags:

calvície, código genético

Compartilhe: