A informação é do Instituto Trata Brasil, que coloca três cidades atendidas pela companhia entre os dez melhores serviços de saneamento do Brasil

Franca, São José dos Campos e Santos, atendidas pela Companhia de Saneamento de São Paulo (Sabesp), estão entre as dez cidades com os melhores serviços de saneamento do Brasil. É o que diz o ranking do Trata Brasil, baseado em dados de 2011, os mais atuais, do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) do Ministério das Cidades.

O levantamento, que leva em consideração itens como distribuição de água, coleta e tratamento de esgoto, tem como os melhores exemplos os Estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. Entre os cem municípios citados, doze são operados pela Sabesp.

A Sabesp possuiu um programa de investimentos que tem como principal meta a universalização, busca pela eficiência e a inovação, para ser cada vez mais uma empresa moderna e conectada ao seu tempo. Recentemente, Franca recebeu cerca de R$ 160 milhões para a construção do novo sistema produtor Sapucaí-Mirim, que vai abastecer a cidade durante as próximas décadas. Até fevereiro de 2014, com a conclusão da ampliação da estação de tratamento de esgoto (ETE) Lavapés, São José dos Campos passará a atender mais de 490 mil habitantes e representa R$ 37,5 milhões do total investido. Em Santos, a Sabesp está investindo, entre 2007 a 2014, R$ 3,7 bilhões em melhorias dos sistemas de saneamento.

De acordo com Dilma Pena, diretora-presidente da Sabesp, a companhia possuiu um programa de investimentos que tem como principal meta a universalização, busca pela eficiência e a inovação, para ser cada vez mais uma empresa moderna e conectada ao seu tempo. “Temos um plano de negócios em execução com investimentos médios anuais em torno de R$ 2,4 bilhões. Até o final de 2014, todas as sedes municipais do interior estarão com 100% de coleta e 100% de tratamento de esgoto, além dos 100% de abastecimento”.
O ranking do Trata Brasil apontou ainda que reduzir a perda na distribuição de água é um dos grandes desafios no Brasil. As cem maiores cidades brasileiras jogam fora quase 40% da água que captam.

Entre 2006 e 2009, a Sabesp economizou 157,5 bilhões de litros de água, volume suficiente para abastecer 520 mil pessoas. No período, o índice de perdas da companhia caiu de 32% para 26%. “A redução das perdas é prioridade para a Sabesp a fim de que seja garantida a segurança do abastecimento na Região Metropolitana de São Paulo”, afirmou Dilma Pena. A Sabesp mantém um Programa Corporativo de Redução de Perdas de Água da Sabesp, que tem como meta baixar as perdas dos atuais 25,6% para um percentual de até 15% no fim desta década. A média brasileira é de 37%, enquanto a do Japão, referência mundial no assunto, é de 3%.

O estudo exclusivo do Instituto Trata Brasil, “Ranking do Saneamento”, é uma avaliação dos serviços de saneamento básico prestados nas 100 maiores cidades do País. O estudo revela a parcela da população atendida com água tratada e coleta de esgotos, as perdas de água, investimentos, avanços na cobertura e o que é feito com o esgoto gerado pelos 78 milhões de brasileiros destas cidades.

 

Compartilhe:

Karla Ichiba
Publicado por Karla Ichiba

Karla Ichiba é diplomada em política pelo Governo do Estado de São Paulo e em assessoria política pelo Grupo Marco Iten. Estudou no Colégio Santa Cruz, é jornalista pela FIAM e publicitária pela FAAP. Atuou na Petrobras em comunicação e responsabilidade social e atualmente trabalha na Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp).

Este conteúdo é de responsabilidade do colunista e não expressa a opinião do LabNetwork.