O avanço global do Point-of-Care Testing (POCT) é uma realidade consolidada. Com a pandemia, os benefícios do POCT vieram à luz, mostrando resultados rápidos e confiáveis, afetando condutas médicas, sociais e políticas impactadas pela Covid-19, como pontua Dennis Begos, Diretor de Relações Médicas e Científicas da Nova Biomedical. Em entrevista sobre o assunto, o especialista comenta muitos aspectos relacionados ao POCT, incluindo a crescente expansão dos testes Point-of-Care e o seu potencial futuro. Confira:

Qual a importância da utilização de soluções POCT na rotina médica e dos hospitais? E quais os ganhos em relação aos ensaios laboratoriais?
O benefício mais óbvio do POCT é a velocidade dos resultados, que são entregues quase em tempo real, agilizando a tomada de decisão clínica e o tratamento. Vamos pegar o exemplo do teste de glicose no sangue. Muitos pacientes criticamente enfermos estão sob rígidos parâmetros de controle da glicose na UTI. Os gotejamentos intravenosos de insulina são comuns e a glicose no sangue pode alterar rapidamente nessas condições. Em um laboratório central convencional, pode haver demora de até quatro horas para os resultados dos exames de sangue, em consequência da coleta, identificação, envio da amostra a um laboratório central e o processamento. Esse atraso pode impactar no gerenciamento clínico do paciente, por conta das rápidas oscilações nos níveis de glicose do paciente que podem ocorrer enquanto se espera os resultados dos exames do laboratório. Com o teste de glicose POCT, os resultados são apresentados em segundos e o manejo clínico apropriado pode acontecer imediatamente. Além da glicose, agora podemos medir magnésio ionizado (iMg), cálcio ionizado (iCa), hemoglobina e hematócrito, lactato e muitos outros parâmetros que também requerem acompanhamento em tempo real e resultados imediatos durante a fase crítica da doença. Outra vantagem do POCT é a acurácia dos resultados. Muitos exames de sangue enviados ao laboratório central não são estáveis e se alterarão com o tempo, como lactato e glicose, que causam problemas pré-analíticos nos testes laboratoriais. Com o POCT, o teste geralmente é executado imediatamente e os problemas pré-analíticos são minimizados. A velocidade é uma vantagem importante, mas que não pode se sobrepor à acurácia. Felizmente, a maioria dos dispositivos POCT agora são tão precisos quanto os analisadores centrais de laboratório, e os resultados podem ser confiáveis e concordantes. Por exemplo, um estudo recente mostrou que a triagem de doença renal com o dispositivo StatSensor Creatinina/TFG da Nova foi mais preciso que o método Jaffe de um laboratório central quando ambos foram comparados para medição de TFG – taxa de filtração glomerular.

Qual o peso que os testes POC têm no portfólio da Nova Biomedical? Como a companhia pretende expandir nesse mercado?
A Nova tem um forte portfólio de POCT que atende muitos dos testes de cuidados intensivos que os médicos precisam para tomar decisões rápidas de tratamento. Nosso analisador Prime Plus de 24 testes pode fornecer um perfil que consiste em gases sanguíneos, eletrólitos, metabólitos, hematologia, co-oximetria e status de volume em cerca de um minuto usando uma única gota de sangue. O analisador Allegro oferece um menu de testes abrangente para monitorar o controle glicêmico e os fatores de risco do diabetes, como lipídios/risco cardíaco, função renal, inflamação e coagulação. Também oferecemos dispositivos Point-of-Care de punção digital capilar com menus para anemia, sepse, lesão renal, gota e cetose. O POCT expandirá para novos ambientes, incluindo farmácias, consultórios médicos, clínicas e atendimento domiciliar. Nós continuaremos a fornecer novos dispositivos e expandir o menu de testes Point-of-Care para apoiar as tomadas de decisão e o gerenciamento do paciente nesses locais.

Poderia comentar a respeito do futuro do POCT em termos de mercado?
Uma das áreas em que o POCT trará uma mudança de paradigma é longe do hospital, em locais remotos onde o acesso aos cuidados de saúde é limitado. Testes POC de creatinina e TFG já estão sendo usados em países de baixa e média renda para triagem de doença renal. Nesses ambientes, a lesão renal aguda (LRA) e a doença renal crônica (DRC) geralmente não são diagnosticadas ou, na melhor das hipóteses, são descobertas tardiamente e, sem acesso à diálise, muitas vezes são sentenças de morte ao paciente. Programas de triagem usando POCT para creatinina/TFG têm mostrado resultados favoráveis na detecção precoce da doença renal, na qual a intervenção pode retardar ou prevenir a progressão da doença. Outra área fora do hospital onde o POCT pode impactar o atendimento ao paciente é em locais comunitários. Em farmácias, por exemplo, as pessoas com diabetes podem se autotestar para HbA1c e lipídios para monitorar a glicemia e o risco de doença cardíaca. O teste pré-hospitalar de lactato em pacientes em trauma ou potencialmente sépticos em ambulâncias pode permitir atendimento mais rápido e transporte para um local apropriado, como uma unidade de cuidado terciária. Na mesma linha, o POCT para militares pode ajudar significativamente nas decisões clínicas para soldados feridos no campo de batalha, em termos de triagem, transporte e uso de hemoderivados no campo.

E sobre os avanços tecnológicos nessa área?
O contínuo desenvolvimento, a miniaturização de novos biossensores e o uso de microeletrônicos, como nosso MicroSensor Card™, que mede 24 testes em uma ou duas gotas de sangue, ajudarão a tornar o POCT clinicamente benéfico e muito mais fácil de ser executado pela equipe de Point-of-Care. Para o automonitoramento de pacientes com diabetes, o acompanhamento contínuo da glicose (CGM) está se tornando mais acessível e há mais dispositivos disponíveis a cada ano. Isso provavelmente tornará o CGM uma opção para um número maior de pessoas que vivem com diabetes.

Tags:

Nova Biomedical, point-of-care testing (POCT)

Compartilhe: