74 % dos pacientes com problemas crônicos na glândula, controlam a doença através de exames laboratoriais

As atualizações sobre função tireoidiana estão na programação de mesa-redonda do 53º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

A tireoide é a glândula endócrina responsável pela produção de hormônios como o T3 e T4. Alterações no seu funcionamento podem ocasionar problemas no metabolismo ou sinalizar possíveis doenças mais graves como nódulos e até mesmo câncer.

Uma pesquisa* da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial indica que 74% dos pacientes com problemas crônicos na glândula, como o hipo e o hipertireoidismo, controlam a doença através de exames laboratoriais.

As atualizações sobre função tireoidiana estão na programação de mesa-redonda do 53º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial. O evento acontece no dia 25 de setembro, a partir das 9h00, no centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro.

O endocrinologista e patologista clínico, membro da SBPC/ML, supervisor do Laboratório de Hormônios do Serviço de Endocrinologia e Metabologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Marcelo Cidade Batista, instruirá como interpretar os resultados de exames laboratoriais relativos à tireoide.

Maria Izabel Chiamolera, pesquisadora associada ao Laboratório de Endocrinologia Molecular e Translacional (LEMT) da disciplina de Endocrinologia do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, será responsável por fazer um panorama sobre o diagnóstico clínico de disfunções da tireoide.

William Pedrosa de Lima discorrerá sobre os métodos e interferentes da glândula. Atualmente, o especialista é assessor científico na área de Endocrinologia do Instituto Hermes Pardini, em Belo Horizonte.

Serviço
53º Congresso de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial
Data do Congresso: 24 a 27 de setembro
Local: Centro de Convenções SulAmérica (Av. Paulo de Frontin, 1 – Cidade Nova, Rio de Janeiro – RJ)

* Foram realizadas 400 entrevistas com moradores da cidade do Rio de Janeiro e de São Paulo, maiores de 18 anos. Nesta população buscou-se ter uma maior participação de pessoas com pelo menos uma entre seis doenças crônicas: Cardiovasculares, Reumáticas, Renais, além de Diabetes, Tireoide, Câncer, (cerca de 83%) e outro grupo sem nenhuma dessas seis doenças (aproximadamente 17%).

Tags:

53º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial, exames laboratoriais, tireoide

Compartilhe: