Com temperaturas cada vez mais baixas, as temidas crises de asma podem aparecer com mais frequência no inverno

O Diagnósticos do Brasil oferece a seus clientes a dosagem da Imunoglobulina E – IgE (IgE Total) e mais de 600 tipos de IgE’s específicos, para investigar diversos tipos de alergias

Falta de ar, sibilo, tosse e o famoso chiado no peito indicam sinais de uma doença que afeta a vida de mais de 6 milhões de brasileiros, a asma.

A asma é uma condição crônica que causa inflamação e estreitamento dos brônquios, dificultando a passagem de ar para os pulmões. Portadores desta doença, quando expostas a uma substância à qual são sensíveis ou a uma situação que modifique seus padrões respiratórios regulares, podem sentir esses sintomas de maneira mais agressiva.

Existem dois tipos de asma: alérgica (causada por exposição a um alérgeno) e a não alérgica (causada por estresse, exercício, doenças como resfriado ou gripe, ou exposição a condições climáticas extremas, irritantes no ar ou alguns medicamentos).

Esse estreitamento pode ocasionar um ruído característico, semelhante a um assobio ou chiado chamado sibilo. O frio, mudança de temperatura, fumaça, ácaros ou fungos, e até mesmo odores fortes contribuem para a manifestação da doença.

Gatilhos de asma

Os gatilhos de asma mais comuns incluem:

– Alérgenos ao ar livre: pólen de grama, árvores e ervas daninhas

– Alérgenos internos: pelos de animais, ácaros e mofo

– Determinados medicamentos e aditivos alimentares (exemplo: aspirina e acetaminofeno)

– Irritantes no ar, como fumaça, vapores químicos e odores fortes

– Resfriados, gripe ou outras doenças

– Exercício (embora as pessoas com asma possam se beneficiar de algum exercício)

– Estresse

– Condições climáticas, como ar frio ou clima extremamente seco, úmido ou com muito vento

Tratamento

A prevenção de gatilhos é a melhor estratégia para evitar crises. Uma pessoa com asma deve saber que situações desencadeiam um ataque e evitá-las sempre que possível. Se os ataques de asma forem graves, forem imprevisíveis ou se acontecerem mais de duas vezes por semana, a consulta com um alergista pode ajudar a determinar sua causa e fornecer tratamento de longo prazo que controle ou elimine os sintomas.

Alergias são apenas um dos fatores que podem desencadear ataques de asma. Nem todas as pessoas com asma têm alergias e há muitas pessoas que têm alergias, mas não têm asma. Excluir tipos de alergias é tão importante quanto confirmá-las, pois, dessa maneira é possível evitar reações adversas e medicações desnecessárias.

Em adultos a doença pode ser assintomática, crianças apresentam crises com mais frequência e podem ter complicações graves, por isso a asma é considerada uma prioridade de atendimento em saúde e embora não haja cura, tratamentos eficazes estão disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS) gratuitamente.

Os medicamentos definidos para o tratamento de asma são distribuídos conforme prescrição médica válida por 120 dias e podem ser retirados gratuitamente mediante apresentação de documento de identidade com foto e CPF. A receita pode ser emitida tanto por um profissional do SUS quanto por um médico que atende em hospitais ou clínicas privadas.

Exames de alergia também podem ser utilizados para diagnosticar a asma, através da aplicação do alérgeno sobre a pele ou através do sangue, identificando a substância a que o paciente é alérgico. O Diagnósticos do Brasil oferece a seus clientes a dosagem da Imunoglobulina E – IgE (IgE Total) e mais de 600 tipos de IgE’s específicos, para investigar diversos tipos de alergias.

Contato

Diagnósticos do Brasil

Tel.: (41) 3299-3400

[email protected]

Referências

AMERICAN COLLEGE ALERGIST.  Asthma Information. Disponível em: < https://acaai.org/asthma/about >. Acesso em: 05 jun 2018.

GOVERNO DO BRASIL. Asma atinge 6,4 milhões de brasileiros. Disponível em: < https://goo.gl/o7Bp6F >. Acesso em: 05 jun 2018.

Tags:

asma, Diagnósticos do Brasil, Exames de alergia

Compartilhe: