Com mais de mil cepas, divididas em três subgêneros e 30 espécies, a Coleção tem atualmente cerca de 200 genomas completos de Leishmania já sequenciados

Parasitos do gênero Leishmania. Foto: Coleção de Leishmania

A Coleção de Leishmania (Clioc) do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) foi contemplada no Programa de Prêmios da Global Genome Biodiversity Network – Global Genome Initiative (GGBN-GGI). O acervo receberá o valor de U$ 12.800 (aproximadamente R$ 70 mil) para o desenvolvimento de plataforma de acesso público que abrigará genomas dos protozoários causadores das leishmanioses. Esta é a primeira vez que uma coleção biológica da Fiocruz é agraciada pela iniciativa.

“O Prêmio tem como objetivo financiar projetos que ampliem a visibilidade e a divulgação de amostras genéticas, aumentando o número de informações sobre biodiversidade e tornando-as disponíveis e de fácil acesso”, explica Elisa Cupolillo, curadora da Coleção de Leishmania do IOC e pesquisadora do Laboratório de Pesquisa em Leishmaniose do Instituto. Com mais de mil cepas, divididas em três subgêneros e 30 espécies, a Coleção tem atualmente cerca de 200 genomas completos de Leishmania já sequenciados, que estão distribuídos em diferentes portais internacionais – entre eles, o TritrypDB e o National Center for Biotechnology Information (NCBI).

“Esse prêmio veio em um momento bastante oportuno, pois já estávamos com a iniciativa de desenvolver uma plataforma própria dentro do nosso site para reunir e facilitar o acesso aos genomas sequenciados da Coleção. Com essa verba conseguiremos aprimorar o nosso portal e deixar as sequências disponíveis, alinhando com o nosso catálogo de espécimes”, revela Elisa.

Além da criação de um espaço virtual próprio para divulgação do material genético, o projeto também prevê o aprimoramento do banco de dados para gerenciamento das informações dos espécimes e o compartilhamento dos genomas no portal da GGBN, bem como no Sistema Global de Informação sobre Biodiversidade (GBIF, na sigla em inglês) — rede internacional que fornece acesso aberto a dados sobre a vida na Terra.

“Inicialmente, com a criação da plataforma, nossa meta é disponibilizar genomas completos de mais de 300 cepas de Leishmania de diferentes espécies e ambientes da América Latina, além de sequências de mais de 50 vírus que infectam esses protozoários. Essas informações são de extrema importância não só para pensar em novas estratégias terapêuticas, mas também para entender a complexidade das doenças causadas por esses parasitos”, comenta a curadora.

Além da Clioc, outras duas instituições foram reconhecidas no Programa de Prêmios GGBN-GGI: o Museu de Vertebrados da Universidade de Wyoming (Estados Unidos), com um projeto de preservação e compartilhamento de coleção de tecidos de aves de rapina; e o Kostrzyca Forest Gene Bank, da State Forests (Polônia), que apresentou proposta de conservação florestal com a criação de um banco de tecidos e DNA de espécies de plantas raras e ameaçadas de extinção.

“Esse prêmio é importante não apenas para a nossa Coleção, mas também para a instituição como um todo. Tem estado cada vez mais em foco a relevância dos microrganismos para o nosso planeta. O IOC e a Fiocruz têm uma presença científica muito significativa nesse cenário. É muito interessante ver essa coleção altamente focada de protozoários, iniciada há 42 anos pelos pesquisadores Gabriel Grimaldi e Hooman Momen, ser reconhecida em uma premiação internacional que contempla a biodiversidade”, conclui Elisa.

A coleção

Criada na década de 1980 e em constante expansão, a Coleção de Leishmania do IOC tem um rico acervo que representa os principais grupos taxonômicos do mundo do gênero Leishmania. Além de desenvolver projetos de pesquisa específicos, a Clioc também atende demandas de instituições públicas de pesquisa e ensino e setores da indústria, prestando serviços especializados, como caracterização taxonômica de Leishmania, depósito de material, distribuição de culturas, treinamento de recursos humanos e consultoria técnico-científica.

A associação da Clioc com os Laboratórios de Pesquisa em Leishmaniose e Referência Nacional em Tipagem de Leishmaniado IOC responde como Laboratório de Referência Regional da Organização Pan-americana de Saúde (Opas/OMS) para identificação genética e sequenciamento das espécies desse parasito que circulam na região. Com informações da Fiocruz

Tags:

Coleção de Leishmania (Clioc) do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), Global Genome Biodiversity Network - Global Genome Initiative (GGBN-GGI)

Compartilhe: