É preciso estar atento aos detalhes que garantem a qualidade no atendimento, fazendo com que a tecnologia permeie todo o processo 

A tecnologia desenvolvida pela Hilab permite a realização de testes que demandam coletas biológicas que podem ser feitas com apenas algumas gotas de sangue ou com swab nasofaríngeo

Já não é novidade que o mercado de saúde como um todo está mais centrado na experiência do paciente, e comprometido a entregar um atendimento completo e qualitativo. A humanização do atendimento é um dos principais pilares para quem deseja investir na saúde nos próximos anos.

E esta tarefa ganhou um reforço muito grande das inovações tecnológicas mais recentes. Com novas ferramentas em mãos, o setor de análises clínicas está transformando a maneira de atender e criando grandes diferenciais, para se consolidarem no mercado, além de criar relacionamentos mais horizontais com os clientes.

É mais que digitalizar o atendimento

Entretanto, diante das opções digitais disponíveis no mercado, não basta estar 100% digitalizado e conectado, é necessário ir além. As empresas devem buscar um certo  grau de maturidade em que sejam capazes de integrar a tecnologia e a informação em todas as esferas de relacionamento com o paciente.

O desafio agora é que a tecnologia seja mais que uma parte do processo, permeando, inclusive, o acolhimento ao paciente. E já existem iniciativas desse tipo no mercado. É o caso da Hilab, a healthtech que desenvolveu um serviço de exames laboratoriais remotos completo, para otimizar a rotina, reduzir custos, facilitar processos no mercado diagnóstico e, claro, humanizar o atendimento.

Como os serviços inovadores podem ajudar a fidelizar clientes? 

Antes de mais nada, as empresas precisam entender que o cliente deve ser colocado em primeiro lugar. A humanização do atendimento é mais do que olho no olho, contato físico ou, ainda, criar uma grande inovação. Trata-se de acolhimento.

Os gestores de laboratórios, e demais estabelecimentos de saúde, devem desenvolver uma cultura de empatia. Afinal, muitas das vezes, quem busca este tipo de serviço pode estar fragilizado por situações que envolvam problemas de saúde.

E a atenção no atendimento parte de problemas que podem parecer bobos, mas fazem toda a diferença, como filas longas, demoras no atendimento e até grandes deslocamentos até uma clínica ou hospital.

Uma vez que este tipo de cultura está disseminada, as possibilidades são imensas. Alguns exemplos são:

Telemedicina

A modalidade, que foi regulamentada definitivamente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), bem como pelo Ministério da Saúde, em abril de 2020, já era bem aceita pela comunidade médica antes mesmo da pandemia. Uma pesquisa divulgada pela Associação Paulista de Medicina, em março de 2020, revelou que 70% dos médicos consideram que a telemedicina pode ampliar o atendimento.

O grande apelo das teleconsultas está no fato de o paciente não precisar de grandes deslocamentos para receber um atendimento médico. Esse é um aspecto valioso não só por conta da pandemia, pois também facilita o acompanhamento médico de idosos e outros pacientes com dificuldade de locomoção.

Vale destacar que a explosão nos atendimentos por telemedicina causada pela pandemia, também acelerou os investimentos na modalidade. Com isso, os laboratórios, clínicas e hospitais tendem a ganhar mais eficiência com a redução de internamentos e a antecipação de diagnósticos, além de tratamentos mais adequados.

Testes laboratoriais remotos

Os Testes Laboratoriais Remotos (TLRs) ou Point Of Care são exames feitos por serviços que servem como apoio a laboratórios clínicos. A modalidade, apesar de parecer muito nova, já é regulamentada no Brasil desde 2005.

Esta é justamente a modalidade de atendimento oferecida pela Hilab. A healthtech conta com uma metodologia exclusiva, que combina a tecnologia, atuação humana e coletas indolores, pensando na performance dos estabelecimentos médicos e no bem-estar dos pacientes.

A tecnologia desenvolvida pela empresa permite a realização de testes que demandam coletas biológicas que podem ser feitas com apenas algumas gotas de sangue ou com swab nasofaríngeo. Essa prática torna a experiência do cliente mais confortável, uma vez que ele não precisa ser puncionado várias vezes para obter um diagnóstico.

Diagnóstico esse, que pode ser realizado em até 30 minutos, ou seja, bem mais rápidos que alguns exames tradicionais. O resultado fica disponível no celular do paciente e, eventualmente, pode até ser integrado ao seu software de gestão.

E, para ficar nos exemplos deste artigo, no caso da telemedicina, os laboratórios remotos podem criar serviços que funcionem a partir de postos avançados, facilitando o deslocamento dos pacientes.

Um diferencial para os laboratórios

Como se pode ver, a tecnologia oferece muitos atrativos: rapidez, integração, melhores experiências ao cliente e até maior capacidade de atendimento.

Mas é importante, também, lembrar que serviços como o da Hilab podem também ser um diferencial de mercado, além de possibilitarem a criação de novos modelos de negócio.

Quer entender melhor como a empresa funciona? Acesse o site da Hilab e descubra como inovar laboratórios sendo parceiro da healthtech.

Tags:

exames laboratoriais remotos, Hilab

Compartilhe: