macarrao_freeimages

Existem inúmeros exames laboratoriais para detecção do problema, e é necessário mais de um exame para chegar a um resultado final

O Paraná é um dos estados com maior número de intolerantes ao glúten, são ao todo 52 mil pessoas que não podem ingerir a proteína. Ao todo no Brasil, já se somam 1 milhão de celíacos, segundo dados da Federação Nacional de Celíacos no Brasil – a Fenacelbra. O diagnóstico do problema é difícil, pode ser confundido com doenças do intestino ou relacionada à carência de nutrientes.

Segundo o bioquímico e diretor do LANAC – Laboratório de Análises Clínicas, Marcos Kozlowski, existem inúmeros exames laboratoriais para detecção do problema, e é necessário mais de um exame para chegar a um resultado final. No LANAC mais de 12 testes estão disponíveis. “Os mais comuns são o anticorpo anti-endomisio, trrasglutaminase tecidual, gliadina e o estudo molecular de DQ2 e DQ8. Esse último consegue excluir 100% a possibilidade de intolerância, mas caso positivo não é conclusivo para o diagnóstico de doença celíaca”, explica. Os demais mostram possibilidades de intolerância ao glúten, e é preciso combinar com outros exames para um resultado mais preciso.

Segundo Kozlowski, quando os testes laboratoriais apontam para a doença celíaca, é necessário uma biopsia de intestino delgado e a indicação de uma dieta sem glúten por tempo determinado, para refazer os exames laboratoriais e concluir o diagnóstico.

O Food Detective é capaz de detectar intolerância alimentar a 109 tipos de alimentos, inclusive ao glúten. Segundo o bioquímico, nosso organismo pode desenvolver uma sensibilidade a alguns alimentos, e o exame consegue identificar quais alimentos provocam essa reação no organismo. “Quando o organismo é sensível a certos alimentos, dores de cabeça, depressão, fadiga, diarreias e até mesmo a obesidade podem aparecer com frequência”, explica. A doença celíaca e a sensibilidade ao glúten são problemas diferentes, os efeitos da sensibilidade são mais brandos e o tratamento é diferente. O Food Detective não tem cobertura do plano de saúde e só é realizado com indicação médica ou de nutricionistas.

Tags:

doença celíaca, exames laboratoriais, Food Detective, LANAC – Laboratório de Análises Clínicas

Compartilhe: