Sebia destaca a importância do controle glicêmico pela dosagem da HbA1c e seu impacto no desenvolvimento do glaucoma em pacientes diabéticos

O Brasil ocupa o 4º lugar entre os 10 países com maior número de indivíduos com diabetes, sendo 12,5 milhões de pessoas diagnosticadas. Estudos têm sugerido que pessoas com diabetes tem 40% mais chances de desenvolver o glaucoma, que é causado pelo aumento da pressão ocular. O monitoramento das taxas de glicemia afim de mantê-la controlada reduz sobremaneira as chances do paciente diabético desenvolver problemas oculares. O método de escolha para o controle glicêmico é a dosagem de hemoglobina glicada (HbA1c).

Garantir o controle da glicemia protege os pacientes do risco de desenvolver complicações decorrentes da diabetes, tal como o glaucoma. Por este motivo, a dosagem de HbA1c deve ser realizada através de métodos que garantam a acurácia na quantificação deste analito.

Para o diagnóstico do diabetes nem todos os métodos que dosam a HbA1c são certificados também pelo FDA. Esta certificação garante que o método utilizado reduza ao máximo os interferentes responsáveis por fornecer resultados que alterem o real valor da HbA1c, o que pode levar a uma interpretação incorreta do resultado e consequentemente mudar a conduta terapêutica.

A Sebia oferece o teste de HbA1c por eletroforese capilar garantindo a acurácia dos resultados com o menor índice de interferentes como também identifica as principais variantes de hemoglobinas e é a única metodologia do mercado capaz de dosar a HbA2, principal marcador da beta-talassemia,  além de possuir todas as certificações dos órgãos responsáveis pela padronização do método: NGSP, IFCC e FDA.

Tags:

diabetes, eletroforese capilar, FDA, glaucoma, glicemia, Hemoglobina Glicada HbA1C, Sebia

Compartilhe: