Empresa também incentiva outras companhias a se engajarem no projeto

Há pouco mais de um ano o Museu Nacional foi atingido por um dramático incêndio que causou danos irreparáveis à ciência, pesquisa e história do país. Fundado por Dom João VI em 1818, era a instituição científica mais antiga do Brasil. Possuía o maior acervo da história natural da América Latina: mais de 20 milhões de itens, como fósseis, múmias, peças indígenas e livros raros.

Hoje o Museu está sendo reconstruído com ajuda do governo, da participação positiva de indivíduos e de uma generosa doação vinda da Alemanha. Sabendo da importância histórica do museu, a Eppendorf do Brasil assumiu o compromisso de participar do projeto. Segundo Ana Paula Aukar, diretora geral da Eppendorf no Brasil, “é fundamental reconstruir esse patrimônio científico, cultural e brasileiro”. A empresa quer aproveitar o momento para convidar outras empresas de life sciences a acompanhá-la nessa jornada e se engajarem na reconstrução do Museu.

Tags:

Eppendorf do Brasil, Museu Nacional

Compartilhe: