Se a epidemia de dengue tiver o comportamento cíclico que vem ocorrendo desde 2010 (2010- 2013 – 2016), o número de casos no ano de 2019 pode ser maior do que no ano de 2018 e 2017.

De acordo com o Lyra (Levantamento Rápido de Índice de Aedes aegypti), 21% dos municípios do Estado de Minas Gerais estão em situação de alerta pois apresentam mais de 1% dos domicílios com a presença do mosquito.

Conforme a Coordenadora do Programa Estadual de Controle das Doenças transmitidas pelo Aedes aegypti em Minas Gerais, Márcia Ôteman, sempre tivemos o predomínio do sorotipo da dengue tipo I, mas no ano de 2018, o sorotipo tipo II foi predominante entre as amostras testadas.

O Brasil está em alerta.

A ECO Diagnóstica disponibiliza em seu portfólio uma linha de produtos para diagnóstico da dengue por imunofluorescência.

O teste ECO F Dengue IgG/IgM é um imunoensaio de fluorescência para a detecção de anticorpos IgG e IgM contra os quatro sorotipos do vírus da dengue (DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4) e o teste ECO F Dengue NS1, para a detecção de antígenos NS1 de dengue. Ambos utilizam amostra de sangue total venoso e capilar, soro ou plasma e são fornecidos completo com pipeta plástica capilar e tampão diluente.

Os testes foram validados pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/FIOCRUZ) consolidando valores de 99,2% de sensibilidade (n=280) e 98,4% (n=123) de especificidade para dengue IgG/IgM. Para dengue NS1, apresentou sensibilidade de 94,1% (n=32) e especificidade de 100% com n=415 amostras. Os kits possuem valores estabelecidos para controle externo da Controllab.

Os resultados liberados são qualitativos com um valor de Índice de Corte (COI). O COI consegue avaliar o nível de infecção do paciente e em pesquisa de anticorpos, diferenciar se a infecção é primária ou secundária, retirando qualquer dúvida na leitura do resultado.

A linha F-Line utiliza o marcador európio, altamente específico pois o comprimento de onda de emissão é maior que o de excitação, proporcionando alta sensibilidade e estabilidade nas leituras dos parâmetros avaliados principalmente em relação aos testes de imunocromatografia (partícula de ouro).

Para mais informações: (31) 3653-2025 / [email protected].

Fonte: Ouça a reportagem completa aqui.

Tags:

dengue, ECO Diagnóstica, ECO F Dengue IgG/IgM, ECO F Dengue NS1, Európio, Imunofluorescência

Compartilhe: