O estudo abrangeu 27 tipos de cânceres de órgãos sólidos, incluindo tumores cerebrais

Um amplo e marcante estudo publicado no jornal Cancer Cytopathology da American Cancer Society mostra que um simples exame de sangue não invasivo (biópsia líquida) pode diferenciar com precisão os tumores não cancerosos versus crescimentos cancerosos.

Essas descobertas foram baseadas em um estudo colaborativo internacional multi-institucional patrocinado pela Datar Cancer Genetics, onde os pesquisadores avaliaram amostras de sangue de mais de 30.000 participantes, que incluíram ~ 9.000 casos conhecidos e ~ 6.000 casos suspeitos de câncer, 700 indivíduos com tumores não cancerosos e 14.000 indivíduos saudáveis. O estudo abrangeu 27 tipos de cânceres de órgãos sólidos, incluindo tumores cerebrais.

Os pesquisadores avaliaram a presença de pequenos aglomerados circulantes de tumores, altamente prevalentes no sangue de pacientes com câncer e indetectáveis em indivíduos sem câncer. Os pesquisadores também puderam estabelecer o órgão preciso afetado pelo tumor com mais de 90% de precisão.

Significativamente, o exame ajudará muito os indivíduos que relatam crescimentos suspeitos em vários órgãos, como mama, pulmão, próstata, cólon e cérebro.  É digno de nota que uma grande proporção de indivíduos submetidos à biópsia por suspeita de malignidade é detectada com tumores benignos que poderiam ser poupados de biópsias invasivas arriscadas e com muitos recursos. Além disso, o exame de sangue pode auxiliar no diagnóstico de casos em que biópsias invasivas são inviáveis por diversos motivos, como localização do tumor próximo a órgão vital ou vaso sanguíneo ou relutância do paciente, além de comorbidades.

A tecnologia e o exame são desenvolvidos pela Datar Cancer Genetics. O exame deverá estar disponível comercialmente em breve. Essas descobertas devem ter um impacto profundo no diagnóstico do câncer.

Ao comentar os resultados, o Dr. Nicholas Plowman, MD, Oncologista Médico do Departamento de Oncologia Clínica, St Bartholomew’s Hospital, Londres, Reino Unido, e um dos autores do artigo disse que “Este estudo é o maior de seu tipo e mostra o potencial significativo de biópsias líquidas, que até agora foram grosseiramente subestimadas, pelo menos em parte porque os métodos de captura anteriores eram inferiores. A coleta de aglomerados de tumor do sangue periférico é semelhante a uma microbiópsia não invasiva do tumor. A avaliação desses agrupamentos pode facilitar a triagem diagnóstica, bem como a orientação em casos suspeitos de câncer. O exame não é apenas amigável ao paciente, mas também pode reduzir significativamente a carga sobre a já sobrecarregada infraestrutura de diagnóstico do câncer”.

A pesquisa está publicada on-line. Clique aqui.

Tags:

biópsia líquida, diagnóstico do câncer, tumores

Compartilhe: