Os ensaios recombinantes monoespecíficos são o método de escolha para o diagnóstico sorológico do LCR e podem ser combinados com procedimentos convencionais de detecção imuno-histoquímica

As encefalites ou encefalopatias autoimunes representam uma forma específica de autoimunidade contra o sistema nervoso central (SNC), acometendo adultos, crianças e adolescentes, na maioria das vezes, previamente sadios. No entanto, apesar de apresentar uma incidência anual de cinco a oito casos por 100.000 indivíduos, essa ainda é uma doença subdiagnosticada.

O diagnóstico de encefalite autoimune é geralmente baseado na combinação de características clínicas, achados de TR cerebral, EEG, análise de líquor se necessário e determinação de anticorpos no soro/líquor, sendo que a determinação de anticorpos desempenha um papel importante para o diagnóstico e manejo clínico.

Os anticorpos são direcionados contra receptores glutamato (tipo NMDA e tipo AMPA), receptores GABAB, canais de potássio voltagem dependente (VGKC) ou VGKC associada a proteínas (LGI1, CASPR2, TAG-1/contactin-2). Uma vez que esses antígenos desempenham um papel direto ou indireto no sinal sináptico da transdução e plasticidade, as encefalopatias autoimunes associadas manifestam com convulsões e sintomas neuropsiquiátricos.

Os ensaios recombinantes monoespecíficos são o método de escolha para o diagnóstico sorológico do LCR e podem ser combinados com procedimentos convencionais de detecção imuno-histoquímica.

Saiba mais sobre o diagnóstico sorológico de autoanticorpos através do Webinar de Encefalite Autoimune, que será realizado pela Euroimmun Brasil na próxima quarta-feira (16 de dezembro), às 18h.

O evento é uma iniciativa da EUROAcademy, braço para o compartilhamento do conhecimento do Eurohub, hub de geração e disseminação de conhecimento da Euroimmun Brasil, e é aberto para médicos, pesquisadores, analistas de laboratório e demais profissionais da Saúde. Faça já a sua inscrição gratuita clicando aqui.

Tags:

encefalopatias autoimunes, EUROAcademy, Euroimmun Brasil, sistema nervoso central

Compartilhe: