As aquisições têm como objetivo abreviar o tempo de análise das peças, agilizando a entrega de resultados

Um dos equipamentos, instalado no último mês de abril, é o processador automático de tecidos, que foi adquirido por R$ 219,2 mil. Foto: Laís Pompeu/FCecon

Novos aparelhos para a modernização da emissão de laudos de biópsia de pacientes com câncer foram adquiridos pela Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), no ano de 2022. Ao todo, o investimento chega a R$ 572,2 mil. As aquisições têm como objetivo abreviar o tempo de análise das peças, agilizando a entrega de resultados.

São estufas, centrais de inclusão, corador de lâminas automático, montador de lâminas automático, freezer, deionizador e destilador, dentre outros. Os equipamentos foram adquiridos para o Laboratório da FCecon, que emite, por mês, 500 laudos de biópsia oncológica.

“Estamos realizando um grande investimento no nosso Laboratório de Patologia, comprando equipamentos importantes para agilizar os resultados de biópsia. Modernizar o laboratório e assegurar resultados cada vez mais ágeis é um dos nossos objetivos de gestão, cumprindo a legislação”, disse o mastologista Gerson Mourão, diretor-presidente da FCecon.

Tecnologia

Um dos equipamentos, instalado no último mês de abril, é o processador automático de tecidos, que foi adquirido por R$ 219,2 mil. Segundo a gerente do Laboratório de Patologia da FCecon, médica patologista Sharala Kumari, o processamento dos exames ocorria de forma semiautomatizada, o que levava um tempo maior para o preparo de cada amostra até a análise das lâminas pelo médico patologista.

Trata-se de uma tecnologia projetada para aprimorar a rotina de histopatologia, que é o exame no qual o patologista confirma o tipo de tumor cancerígeno. Este novo equipamento permite o processamento automático de um grande número de cassetes, contribuindo decisivamente para agilizar a liberação dos exames, além de economizar reagente e tornar o processo mais seguro para os técnicos do laboratório, pois possui um filtro de carvão ativado que diminui a toxicidade pelos gases nocivos.

“Instalamos o processador automático de tecidos, que fornece uma tecnologia mais moderna para aprimorar a rotina do laboratório. Isso permitirá o processamento automático de um grande número de amostras em cada ciclo de trabalho, contribuindo para agilizar a liberação dos laudos, para que os pacientes oncológicos possam receber o tratamento adequado o mais breve possível, melhorando assim a sobrevida e a qualidade de vida dos pacientes atendidos na FCecon”, disse Sharala Kumari.

Produção

No Laboratório de Patologia da FCecon, são emitidos, em média, 500 laudos de biópsia por mês. A grande maioria das peças é oriunda do Centro Cirúrgico. Após as cirurgias, parte do material colhido do paciente, como o próprio tumor, é encaminhado para a biópsia. Na Fundação, são realizadas diariamente cerca de 20 a 25 cirurgias de pequeno, médio e grande portes.

“A aquisição dos equipamentos é o primeiro passo importante para reestruturação do Laboratório. O trabalho em equipe e treinamentos que estão ocorrendo são o início de uma nova rotina para assistência dos pacientes oncológicos melhorando o atendimento e visando o bem-estar dos pacientes da FCecon”, afirma Maiko Ramos, patologista da FCecon.

No Laboratório de Patologia, o material passa por várias etapas de processamento histológico, como fixação, desidratação, clarificação, inclusão em blocos de parafina cortados em seções extremamente finas para coloração e montagem das lâminas de vidro, até a finalização do laudo de biópsia, que é essencial para a continuação do tratamento e definição de medicamentos quimioterápicos, por exemplo.

Investimento

Os equipamentos para modernizar o laboratório foram adquiridos por meio de emendas parlamentares estadual e federal.

Tags:

Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), histopatologia, laudos de biópsia

Compartilhe: