Pesquisadores rastrearam mais de 10.000 indivíduos assintomáticos para detecção de células tumorais circulantes e posteriormente os acompanharam por um período de um ano

9,6 milhões de pessoas em todo o mundo morrem de câncer a cada ano, principalmente por causa da detecção tardia

Um estudo de referência publicado na revista Cancer Prevention Research da American Association of Cancer Research (AACR) mostrou que é possível identificar indivíduos saudáveis com maior risco de câncer com base em uma simples coleta de sangue. O estudo relata que homens e mulheres de meia-idade aparentemente normais, assintomáticos sem histórico de câncer, mas com grupos detectáveis de células tumorais circulantes (abreviadas como “C-ETACs”) no sangue têm um risco 230 vezes maior de desenvolver câncer em um ano em comparação a indivíduos em que tais aglomerados eram indetectáveis nas amostras de sangue.

Nesta colaboração internacional multi-institucional, estudo liderado pela Datar Cancer Genetics, os pesquisadores rastrearam mais de 10.000 indivíduos assintomáticos para detecção de C-ETACs e posteriormente os acompanharam por um período de um ano. Simultaneamente, o sangue de mais de 4.000 pacientes de câncer com várias doenças malignas (“câncer de órgãos sólidos”) também foi estudado. Os resultados do estudo revelaram que os C-ETACs eram quase invariavelmente encontrados em pacientes com câncer (> 90%), mas eram extremamente raros (<5%) em indivíduos normais sem diagnóstico ou sintoma de câncer. Posteriormente, ao longo de um acompanhamento de um ano, 3,475% dos indivíduos normais positivos para C-ETAC foram diagnosticados com vários tipos de câncer, em oposição a 0,015% dos indivíduos negativos para C-ETAC, produzindo assim um aumento de 230 vezes no risco de diagnóstico de câncer em um ano.

O estudo é significativo porque a detecção precoce do câncer e a estratificação de risco de indivíduos aparentemente normais continua sendo um desafio contínuo para a saúde pública. 9,6 milhões de pessoas em todo o mundo morrem de câncer a cada ano, principalmente por causa da detecção tardia e até mesmo a Organização Mundial da Saúde em um Relatório de 2014 identificou a detecção precoce como seu principal objetivo.

A tecnologia de detecção C-ETAC e o teste são desenvolvidos pela Datar Cancer Genetics usando uma abordagem inovadora para a destruição seletiva de células não cancerígenas no sangue para a coleta de C-ETACs. A precisão do teste é de 95,6% e abrange mais de 20 tipos de câncer, incluindo mama, pulmão, ovário, estômago, pâncreas, cólon e próstata.

Sobre os resultados, Dr. Tim Crook, Oncologista Médico do Hospital Broomfield, Reino Unido, e um dos autores do artigo, disse que “os C-ETACs são basicamente uma microbiópsia não invasiva que permitirá uma triagem de alta confiança e estratificação de risco de indivíduos aparentemente normais. A tecnologia representa um grande avanço para a detecção precoce do câncer. A larga escala do estudo é significativa”.

A pesquisa está publicada on-line.

Tags:

câncer, células tumorais circulantes

Compartilhe: