Companhia lança o Fleury Fertilidade, dedicado ao tratamento de infertilidade e preservação da fertilidade futura. Centro é destinado a profissionais da medicina independentes que desejam realizar os procedimentos de reprodução assistida em pacientes

No ambiente, os médicos encontrarão equipamentos e tecnologia de ponta para realizar procedimentos laboratoriais diversos e cirurgias de baixa e média complexidades

Em mais um passo dentro de sua estratégia de consolidação como Plataforma de Negócios em Saúde, o Grupo Fleury apresenta ao mercado o Fleury Fertilidade, Centro de Medicina Reprodutiva dedicado ao tratamento da infertilidade e preservação da fertilidade futura. O novo espaço é destinado exclusivamente a profissionais da medicina independentes, isto é, especialistas que desejam realizar os procedimentos envolvidos no tratamento da infertilidade de pacientes, mas não possuem estrutura laboratorial para fazê-los.

Localizado no bairro da Vila Mariana, na capital paulista (SP), o Fleury Fertilidade possui 550 metros quadrados distribuídos em amplas e modernas instalações: quatro suítes, uma sala cirúrgica, uma sala de transferência, laboratórios de Embriologia e Andrologia, sala de criopreservação para congelamento de óvulos, sêmen e embriões, além de espaço reservado para conforto médico e um auditório. Médicos e pacientes ainda contarão com uma unidade do Fleury Medicina e Saúde, localizada no andar de cima do prédio, para a realização exames de análises clínicas, ultrassonografia e testes genéticos, entre outros procedimentos.

O Fleury Fertilidade é o terceiro lançamento da companhia dentro da estratégia de investir na diversificação de seus negócios em saúde. No primeiro semestre de 2019, a empresa lançou o Fleury Day Clinic, estruturado para atender procedimentos de baixa complexidade na área ortopédica e com resolubilidade no mesmo dia, e o Centro de Infusões, serviços ambulatoriais de infusão de medicamentos destinado à aplicação intravenosa e subcutânea em pacientes com doenças autoimunes e inflamatórias crônicas.

“Com o lançamento do Centro Fleury Fertilidade, avançamos ainda mais na consolidação da companhia em uma plataforma de negócios em saúde”, analisa Dra. Jeane Tsutsui, diretora executiva de Negócios do Grupo Fleury. “Entramos no mercado de Medicina Reprodutiva levando a nossa tradicional expertise no setor de saúde, oferecendo aos médicos um centro de excelência com qualidade e, aos nossos clientes, um ambiente confortável e seguro”, completa.

O novo espaço será um centro de excelência completo para tratamento da infertilidade de homens, mulheres e casais. No ambiente, os médicos encontrarão equipamentos e tecnologia de ponta para realizar procedimentos laboratoriais diversos e cirurgias de baixa e média complexidades, como: captação folicular, processamento seminal para inseminação intrauterina (IIU), fertilização in vitro clássica (FIV), injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI), punção aspirativa de espermatozoides (PESA e TESA), biópsia de embrião, transferência de embriões e técnicas de seleção de espermatozoides com baixa fragmentação.

O Fleury Fertilidade também contará com estrutura para realização de cirurgias, como as de obtenção de espermatozoides (MESA, TESE), a microdissecção testicular, a vasectomia e sua reversão, correção cirúrgica de varicocele, biópsia de endométrio, colocação e retirada de DIU, entre outras.

Para garantir o perfeito funcionamento e a segurança dos procedimentos e das amostras em cultivo ou criopreservadas, equipamentos como geladeira, incubadoras e tanques de nitrogênio líquido são todos automatizados e interligados a um sistema de telemetria do Grupo Fleury, em que são acompanhados 24 horas por dia. Há, também, um sistema redundante de abastecimento de energia e de suprimentos para evitar que falhas técnicas prejudiquem o desenvolvimento embrionário e o armazenamento dos óvulos, espermatozoides e embriões.

À frente do novo Centro está Dr. Daniel Suslik Zylbersztejn, coordenador médico do Fleury Fertilidade, urologista e PhD em Reprodução Humana. O especialista auxiliará médicos iniciantes nas técnicas de Medicina Reprodutiva e realizará eventuais cirurgias em pacientes encaminhados por outros profissionais, principalmente os clientes que moram fora de São Paulo e não podem contar com seu médico no momento do procedimento.

Na Embriologia, Dra. Amanda Begatti Victorino Monteiro, também PhD em Reprodução Humana, coordenará um time de experientes embriologistas, proporcionando segurança e garantindo qualidade nas técnicas realizadas e nos resultados obtidos. O Centro contará com uma equipe de anestesistas e enfermeiros, entre outros especialistas.

“O Fleury Fertilidade foi concebido para ser um centro revolucionário na forma de atuação no mercado de Medicina Reprodutiva, voltado para atender de forma individualizada e personalizada os médicos especializados em reprodução humana que não possuem seu próprio laboratório. Visamos um estreito relacionamento entre médicos e a nossa equipe, pois entendemos que esta comunicação é fundamental para que os tratamentos reprodutivos tenham maior chance de sucesso. Com o nosso time de profissionais altamente qualificado, nascemos comprometidos a ajudar os médicos a transformar o sonho dos seus pacientes em realidade”, afirma Dr. Daniel Suslik Zylbersztejn.

Avanço da Medicina Reprodutiva

A infertilidade de pessoas em idade reprodutiva é um fenômeno crescente no mundo inteiro. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que exista 48 milhões de casais e 186 milhões de indivíduos vivendo com infertilidade no mundo. Em 2020, a iHealthcareAnalyst estimou o mercado de Medicina Reprodutiva em 37,1 bilhões de dólares no mundo até 2027. A projeção é que o segmento cresça de 5,4% no período considerado, impulsionado pela crescente prevalência de infertilidade com as mudanças no estilo de vida, como a gestação do primeiro filho com idade mais avançada.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulga anualmente as informações das clínicas de reprodução assistida e entre elas estão o número de ciclos – como são chamados os procedimentos de reprodução assistida reportados pelas clínicas à agência – e o número de embriões criopreservados. Em 2019, foram cerca de 44 mil ciclos e 99 mil embriões criopreservados.

O Brasil lidera o ranking latino-americano dos países que mais realizaram tratamentos de Medicina Reprodutiva, segundo o relatório de 2019 da Rede Latino Americana de Reprodução Assistida (REDELARA), com 83 mil bebês brasileiros nascidos nos últimos 25 anos por meio de tratamentos de reprodução assistida. Acredita-se que o mercado ainda possa mais que dobrar e ultrapassar os 100 mil ciclos nos próximos 10 anos.

Tags:

Grupo Fleury, tratamento da infertilidade e preservação da fertilidade futura

Compartilhe: