Acessível e com abrangência nacional, o exame inédito de genotipagem de SARS-CoV-2 será oferecido em larga escala para apoiar os cuidados clínicos com os pacientes

O teste é capaz de identificar as variantes P.1 (Manaus), P.2 (RJ) e B.1.1.7 (Reino Unido)

Com a crescente onda de casos de variantes do coronavírus, o setor de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo Pardini se dedicou a validar e aperfeiçoar um teste de genotipagem de SARS-CoV-2. O resultado do estudo técnico, em colaboração com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), foi um teste próprio do Hermes Pardini para genotipagem do vírus causador da Covid-19, capaz de identificar as variantes P.1 (Manaus), P.2 (RJ) e B.1.1.7 (Reino Unido).

O exame, realizado pela metodologia de RT-PCR em amostras de swab de nasofaringe, estará disponível no menu da rede de laboratórios a partir da próxima segunda-feira, 19 de abril, e será oferecido em larga escala, em todos os estados do Brasil. O grande diferencial do teste desenvolvido pelo Pardini é que ele identifica as cepas de maior relevância clínica de maneira acessível e podendo ser feito em larga escala, se necessário.

Quando e por que fazer

O exame foi desenvolvido para identificar as cepas de mais relevância clínica, uma vez que as cepas P1 e B.1.1.7 foram associadas à maior transmissibilidade e gravidade. Sendo assim, o teste pode orientar os cuidados médicos e gerar dados para autoridades sanitárias no controle epidemiológico.

“O que o Grupo Pardini fez foi, a partir de dados gerados por pesquisas de sequenciamento genômico do vírus (da qual participamos), criar um teste acessível e rápido que será de muita utilidade do ponto de vista coletivo. O que fizemos foi levar a Ciência da Bancada para o leito do paciente. Isso é levar tecnologia em saúde, para quem precisa, onde estiver”, explicou o vice-presidente do Grupo Pardini, Alessandro Ferreira.

Protagonismo da Medicina Diagnóstica

Todas as amostras são registradas com código de barras, rastreadas e acompanhadas por um painel de controle

Com o novo exame, o Grupo Pardini reafirma seu compromisso com a medicina diagnóstica do país e contribui com informações relevantes para o combate da doença. Segundo o vice-presidente da companhia, Alessandro Ferreira, a equipe de Pesquisa e Desenvolvimento está trabalhando de maneira ininterrupta desde o final de 2019, antes mesmo que o novo coronavírus chegasse ao país, realizando validações e criando metodologias para o diagnóstico da Covid-19. “Fazendo uma analogia, digo que os laboratórios são como os núcleos de inteligência de uma guerra. Na pandemia, é a medicina diagnóstica que fornece as informações necessárias para se tomar as medidas sanitárias”.

Mesmo se coletado em qualquer um dos 5 mil laboratórios e hospitais parceiros do Grupo Pardini, espalhados pelo país, o exame será processado no Guardian, um dos maiores núcleos automatizados de produção de testes para Covid-19 do Brasil, em Vespasiano (MG), sede da companhia. Uma logística inteligente garante o atendimento à demanda das unidades próprias e dos laboratórios conveniados. Da chegada da amostra até a entrega do resultado, tudo é feito por equipamentos com alta tecnologia. Todas as amostras são registradas com código de barras, rastreadas e acompanhadas por um painel de controle.

Tags:

Grupo Pardini, teste de genotipagem de SARS-CoV-2

Compartilhe: