Novo exame da healthtech traz mais agilidade para análises que auxiliam o diagnóstico de infarto agudo do miocárdio

O exame é um imunoensaio imunocromatográfico que faz a detecção qualitativa de três biomarcadores

Os biomarcadores relacionados ao diagnóstico de doenças cardiovasculares estão entre as principais análises feitas na emergência hospitalar. E, levando em conta que as doenças crônicas que mais matam pessoas em todo o mundo são aquelas relacionadas a problemas cardíacos, é plausível afirmar que exames que trazem mais agilidade para esse tipo de diagnóstico são fundamentais.

Foi justamente esse entendimento que levou a Hilab, healthtech especialista em exames laboratoriais remotos, a incluir em seu portfólio o exame de marcadores cardíacos. Essa análise oferece resultados em até 20 minutos, com laudo assinado por profissionais, que auxilia no diagnóstico de infarto agudo do miocárdio.

O exame é um imunoensaio imunocromatográfico que faz a detecção qualitativa de três biomarcadores:

Troponinas 

As troponinas são proteínas reguladoras que fazem parte do sistema contrátil do tecido muscular esquelético e cardíaco. O complexo troponina é composto por três subunidades: a Troponina T (TnTc), a Troponina I (TnIc) e a troponina C.

A troponina C é coexpressa nas fibras musculares esqueléticas de contração lenta e não é considerada como um marcador específico cardíaco. Já a Troponina T (TnTc) ou a Troponina I (TnIc) são atualmente os marcadores bioquímicos de escolha para detecção de necrose miocárdica em pacientes com suspeita de síndrome coronariana aguda.

Mioglobina

A mioglobina é uma hemoproteína citoplasmática transportadora de oxigênio de baixo peso molecular. É encontrada no músculo cardíaco e no músculo esquelético. Por não ser cardioespecífico, esse marcador é importante para a detecção de infarto agudo do miocárdio nas primeiras horas de evolução, sendo assim, um marcador muito precoce de necrose miocárdica. Começa a elevar-se entre 1-2 horas após o início dos sintomas de infarto, com pico entre 6-9 horas e normalização entre 12-24 horas.

Em pacientes que apresentam alterações que dificultam o diagnóstico de IAM, a mioglobina é um excelente marcador para afastar esse diagnóstico, uma vez que apresenta elevado valor preditivo negativo.

CK-MB 

Embora tenha limitações conhecidas, esse marcador ainda é muito utilizado na prática clínica. Segundo a Diretriz da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre Tratamento do Infarto Agudo do Miocárdio com Supradesnível do Segmento ST, metanálises de diagnósticos retrospectivos de infarto do miocárdio demonstram sensibilidade de 97% e especificidade de 90% para diagnóstico de infarto agudo do miocárdio, com limitações de padrão-ouro na época.

Como funciona o Exame Laboratorial Remoto Hilab

Para realizar o exame de marcadores cardíacos é necessário realizar apenas uma coleta de sangue do paciente por punção digital. Depois disso, a amostra é inserida em uma cápsula e, então, inserida digitalizada em um dispositivo da Hilab.

Após essa etapa, o exame é avaliado por profissionais da saúde do laboratório de análises clínicas da healthtech, que emitem o laudo. O resultado é duplamente verificado, pois também passa por uma Inteligência Artificial própria, a C4i0, que avalia todos os resultados gerados pelos profissionais do laboratório. Esse laudo é, então, enviado para o local onde o exame foi realizado ou para o paciente por e-mail ou SMS.

Quer entender melhor como funciona o serviço de exames laboratoriais remotos? Confira as soluções da Hilab para laboratórios e descubra como inovar sendo um parceiro da healthtech.

Tags:

biomarcadores, diagnóstico de doenças cardiovasculares, exames laboratoriais remotos, Hilab

Compartilhe: