O laboratório de análises clínicas Hilab, pioneiro em Testes Laboratoriais Remotos, está fazendo parte deste grande projeto, em parceria com o Instituto Butantan. Acompanhe o artigo e saiba mais sobre o papel do laboratório neste estudo

O laboratório de análises clínicas Hilab é pioneiro em Testes Laboratoriais Remotos

Em fevereiro deste ano, o Instituto Butantan e a prefeitura de Serrana, em São Paulo, lançaram o Projeto S, um ensaio clínico inédito que tem por intuito avaliar a efetividade da vacina CoronaVac e seu impacto na transmissão do vírus. No entanto, este não é o único objetivo do estudo. Segundo o Instituto Butantan, também serão avaliados os efeitos adversos, as consequências econômicas e a importância da utilização de softwares de acompanhamento.

A cidade de Serrana foi escolhida por reunir os pré-requisitos necessários para o projeto: o município é relativamente pequeno, um grande número de moradores viaja diariamente, além do fato de que a cidade apresenta um grande número de casos de Covid-19 ativos.

O laboratório de análises clínicas Hilab, pioneiro em Testes Laboratoriais Remotos, está fazendo parte deste grande projeto, em parceria com o Instituto Butantan. Acompanhe o artigo e saiba mais sobre o papel do laboratório neste estudo.

Como será feito o estudo clínico do Projeto S

A cidade de Serrana foi dividida em grupos separados por cor. Segundo o Instituto Butantan, a imunização de cada grupo será realizada durante as primeiras quatro semanas correspondentes à primeira dose, o que permitirá as comparações para o estudo clínico.

A plataforma Tainá, que controla todo o estudo clínico, foi desenvolvida pela Hilab em parceria com o Instituto Butantan. Foto: reprodução/Governo de São Paulo

“A plataforma Tainá, que controla todo o estudo clínico, foi desenvolvida pela Hilab em parceria com o Instituto Butantan. Antes do início do estudo, essa plataforma já compilava os dados dos resultados de todos os exames de PCR realizados nas Unidades Básicas de Saúde da cidade”, conta Bruna Gelain, Biomédica e Especialista de Sucesso do Cliente que está acompanhando a execução do serviço Hilab no projeto.

Estima-se que cerca de 30 mil pessoas acima de 18 anos serão vacinadas, com exceção de mulheres grávidas ou em amamentação e portadores de doenças graves. “Todas as mulheres precisam realizar um exame de Beta-hCG para saber se estão ou não grávidas. A Hilab foi escolhida por oferecer um serviço de Testes Laboratoriais Remotos que entrega um resultado em poucos minutos em tempo real. Com o nosso serviço o município não precisou montar uma grande estrutura laboratorial para processar as amostras”, complementa Bruna.

Para ela, participar desse projeto está sendo uma experiência muito enriquecedora, já que este é o primeiro estudo do mundo para avaliar a eficácia da vacina na redução da transmissão da Covid-19 em uma cidade. “Embora seja uma responsabilidade muito grande participar de um projeto dessa magnitude, está sendo incrível representar a Hilab neste estudo. Fico muito feliz como profissional”, finaliza.

O propósito: tornar a saúde acessível a cada vez mais pessoas

Laboratório Hilab, setor de pesquisa e inovação. Sediada em Curitiba/PR

Projetos como este revelam a importância da utilização de Testes Laboratoriais Remotos (TLRs) na saúde, uma vez que esse tipo de exame não necessita de uma estrutura laboratorial complexa para ser realizado. Isso, somada a qualidade na entrega dos resultados e o fato de os TLRs proporcionarem um resultado rápido, tem levado o serviço Hilab para locais onde um laboratório de análises clínicas fica a quilômetros de distância dos pacientes.

Recentemente, a Hilab participou da Missão Kayapó, um projeto encabeçado pelo Governo Federal – com participação dos Ministérios da Defesa, Saúde, Minas e Energia – que tem como objetivo ampliar o acesso à saúde em locais com pouco ou nenhum acesso, principalmente nas fronteiras brasileiras e em comunidades indígenas.

A Missão buscava reforçar o combate à Covid-19 nas comunidades indígenas, foram realizados cerca de 700 exames para a detecção da Codic-19 e mais de 5.000 procedimentos gerais de saúde nas aldeias Turedjam, Kikretum, Kokraimoro, Moikarako, Kubenkrãnkrehn e Gorotire.

Exame sorológico Hilab para detecção da Covid-19 em aldeia indígena

Referências bibliográficas:

Agência Brasil. Butantan e Serrana lançam projeto para imunizar cidade paulista. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-02/butantan-e-serrana-lancam-projeto-para-imunizar-cidade-paulista>. Acesso em: 02 de março de 2021.

Instituto Butantan. Projeto Serrana vai estudar impacto da vacinação no controle da epidemia, na transmissão da doença e em diversos outros aspectos. Disponível em: <https://butantan.gov.br/noticias/projeto-serrana-vai-estudar-impacto-da-vacinacao-no-controle-da-epidemia-na-transmissao-da-doenca-e-em-diversos-outros-aspectos>. Acesso em: Acesso em: 02 de março de 2021.

Para saber mais, clique aqui para que a empresa possa entrar em contato.

Tags:

Hilab, Projeto S, Testes Laboratoriais Remotos, vacina CoronaVac

Compartilhe: