Reagentes foram personalizados conforme necessidades do laboratório e chegaram ao mercado com alta qualidade e preços competitivos, o que tem feito a empresa crescer

Os sócios-proprietários de quatro laboratórios de análises clínicas da Região de Londrina (PR), passaram a estudar e desenvolver reagentes próprios, que pudessem atender melhor as suas próprias demandas do produto e por um menor custo

Diariamente, os laboratórios de análises clínicas fazem diversos tipos de exames laboratoriais, fundamentais para o diagnóstico de possíveis problemas de saúde dos pacientes que são encaminhados pelos médicos. Sendo assim, os reagentes são uma demanda grande e constante nos laboratórios, e também nos hospitais e hemocentros do país, uma vez que são as ferramentas do processo imunoquímico e/ou celular que indicam as alterações nos exames dos pacientes.

Entre os exames mais realizados estão, por exemplo, hemograma, análise de colesterol, tempo de tromboplastina ativada (PTT ou TTP) e tempo de protrombina (TAP ou TP), glicose, ureia e creatina, TSH e T4 livre, PCR, PSA, ácido úrico, entre outros.

Pensando nisso, os sócios-proprietários de quatro laboratórios de análises clínicas da Região de Londrina (PR), passaram a estudar e desenvolver reagentes próprios, que pudessem atender melhor as suas próprias demandas do produto e por um menor custo, principalmente os reagentes para os hemogramas, um dos tipos de exames mais solicitados. Os laboratórios, hoje com 33 anos de existência, realizaram os testes do produto durante nove anos. O produto deu tão certo que em 2014, com todas as regulamentações necessárias, os sócios decidiram colocá-lo no mercado e, para a surpresa da equipe, houve grande adesão por parte dos laboratórios da cidade e da região.

“Nós percebemos que os reagentes chamaram muita atenção do mercado e iniciamos a produção em escala industrial, em especial os regentes para hemograma, que independente da máquina usada pelo laboratório, fomos criando adaptações e reformulações do nosso produto. Houve muita aceitação de mercado e acreditamos que isso aconteceu justamente em função de ter sido criado por nós, que somos consumidores destes produtos e estávamos em busca de algo mais adequado para os laboratórios brasileiros”, explica o sócio fundador da empresa, Airton Garrocini.

A produção cresceu bastante, assim como a indústria, que funciona em sede própria e independente do laboratório. Hoje, a indústria chamada Reagentes P.A – Hemopack, está em expansão e conta com distribuição de seus reagentes no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Mato Grosso do Sul. “Nós estudamos e compreendemos o mercado. Agora estamos ampliando a rede de distribuidores e parceiros, e temos a meta de quadruplicar a produção, pois a demanda só aumenta”.

Tags:

exames laboratoriais, reagentes, Reagentes P.A – Hemopack

Compartilhe: