O MRC Culturas de Referência Qualitativa, derivado da coleção de culturas europeia NCTC, obtém o reconhecimento dos usuários devido a boa recuperação e crescimento dos microrganismos

Hoje, são mais de 60 cepas reconhecidas como Material de Referência Certificado (MRC), disponíveis para pronta entrega ou programadas mensalmente na quantidade definida pelo laboratório

Na rotina dos laboratórios de análises, as cepas de referência são fundamentais para o controle de qualidade dos insumos utilizados nos exames de diagnóstico clínico, veterinário, nas análises microbiológicas de alimentos, água, produtos farmacêuticos e meio ambiente. Também são de grande importância para realização dos estudos de validação de métodos analíticos e determinação da incerteza de medição.

Em sua busca contínua para prover as melhores soluções em controle de qualidade laboratorial, a Controllab realizou parceria com a PHE – Public Health England. Essa iniciativa viabilizou para o Brasil e outros países da América Latina, acesso imediato a coleção de bactérias mais renomada da Europa e mais antiga em todo o mundo – NCTC (National Collection of Type Cultures) – fundada em 1920.

Inicialmente foi viabilizada a produção de cepas controles e em seguida os materiais obtiveram a chancela da ABNT NBR ISO 17034. Hoje, são mais de 60 cepas reconhecidas como Material de Referência Certificado (MRC), disponíveis para pronta entrega ou programadas mensalmente na quantidade definida pelo laboratório. Essas cepas auxiliam os processos a cumprirem requisitos da NBR ISO/IEC 17025 quanto ao controle da qualidade dos resultados.

O desconhecimento de outras coleções de culturas equivalentes à americana, inicialmente, causou hesitação nos laboratórios para adotar cepas de outras origens. No entanto, atualmente existem 806 coleções de culturas em 78 países e regiões* registradas no WDCM (World Data Center for Microorganisms), um banco de dados internacional que agrupa as cepas em um sistema único de identificadores, facilitando o cruzamento de informações sobre as cepas de referência recomendadas para uso na garantia da qualidade. Nele, é possível verificar que a mesma cepa tem uma designação diferente em cada coleção de cultura. Por exemplo, a cepa Escherichia coli NCTC 11954 é também designada ATCC 35218, CIP 102181, DSM 5923, CCUG 30600, CECT 943 dependendo da coleção de cultura.

Usuários que fizeram a experimentação, em seguida incluíram em sua rotina o MRC Cultura de Referência Qualitativa, proveniente da NCTC. As culturas apresentam boa recuperação e crescimento dos microrganismos, contribuindo nas principais validações: teste de detecção dos microrganismos, antibiograma, métodos alternativos, novos equipamentos, insumos microbiológicos (meios de cultura), etc. Elas conferem mais confiança e credibilidade ao controle de qualidade, facilitando o processo de atendimento às normas, legislações, auditorias, acreditações e fiscalizações.

O benefício da iniciativa alcança, além do Brasil, países como Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. Acesse o site da Controllab e saiba mais sobre as cepas disponíveis no MRC Culturas de Referência Qualitativa.

* Conforme consulta ao http://www.wfcc.info/ccinfo/ em 25/06/21.

Tags:

cepas de referência, controle de qualidade, Controllab, Material de Referência Certificado (MRC)

Compartilhe: