A parceria objetiva elaborar e validar métodos analíticos, empregando-se cromatografia acoplada a espectrometria de massas

O acordo de cooperação técnico-científico entre a Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) tem o intuito de atender aos requisitos normativos como a ISO 17.025 e desenvolver pesquisas e atividades direcionadas para o setor produtivo e para a sociedade. A parceria objetiva elaborar e validar métodos analíticos, empregando-se cromatografia acoplada a espectrometria de massas, para o monitoramento de resíduos de agrotóxicos em solos, águas e alimentos ou qualquer outra matriz.

O Nutec e a Fiocruz já vem trabalhando em parceria desde 2017. Recentemente, ocorreu a formalização da cooperação técnico-científica, através de um acordo entre ambas as partes. Para Carlile Lavour, coordenador da Fiocruz no Ceará, o objetivo é fazer com que a indústria ligada à saúde cresça, “temos como objetivo criar o polo industrial da saúde no Ceará. Por isso, é importante investir em pesquisas. Essa é mais uma etapa rumo ao desenvolvimento do Ceará, tanto na área da saúde, quanto da economia”, afirmou.

A iniciativa surgiu de Carlile Lavor, que conhecendo as instalações do Nutec e com o incentivo do secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Inácio Arruda, trouxe a pesquisadora Margareth Gallo do Rio de Janeiro para a instituição e deu início às pesquisas.

Segundo Margareth, o acordo de cooperação-técnica é de ajuda mútua. “Como diria a música do Raul Seixas, ‘Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade‘. Juntos, com toda a equipe competente e a infraestrutura do Nutec, vamos chegar lá”.

Crisiana Andrade, coordenadora do Laboratório de Química Instrumental (LQI) do Nutec, destaca o desafio do projeto. “A Margareth só veio para somar nesse projeto tão desafiador. Temos que estar buscando sempre melhorar e se aperfeiçoar. Nossos primeiros objetivos são os métodos analíticos, com cromatografia acoplada a espectrometria de massas. Além disso, avançar nas pesquisas na área de agrotóxicos, que são diretamente ligados à saúde”.

A Coordenadora da Cotec, Flaviana Pereira, que estava representando o secretário da Secitece, considera importante que o Estado tenha esse tipo de relacionamento. “Dentro do Plano de Ciência e Tecnologia, esse é um dos pontos colocados em pauta: a integração dos fatores. São as oportunidades que vão sendo verificadas e consolidadas”.

Francisco Magalhães, presidente do Nutec, finalizou a solenidade ressaltando as expectativas do projeto. “Estamos confiantes dos resultados que estão por vir. É hora de aproveitarmos o momento para juntarmos forças e fazermos mais pela sociedade”, concluiu.

Tags:

cromatografia acoplada a espectrometria de massas, Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), resíduos de agrotóxicos

Compartilhe: