Após dois anos de pandemia, o vírus SARS-CoV-2 ainda surpreende e pode continuar assim por um prazo indefinido. Mesmo com a vacinação em curso, a COVID-19 continua presente em nossas vidas e os vírus, em constante mutação. E nesse contexto, os testes sorológicos são grandes aliados para orientar as políticas públicas quanto à epidemiologia da infecção

“Na busca de uma vacina, esses testes (especialmente os que detectam os chamados anticorpos neutralizantes) são ótimos para os cientistas saberem se as pessoas ficaram de fato protegidas ou não”

O Brasil, mesmo sendo considerado um dos países onde mais se vacina, enfrenta dúvidas sobre a fase da pandemia em que realmente se encontra por conta da heterogeneidade da sua população. A sorologia pode ser considerada uma das chaves para esclarecer a questão. O médico e virologista Amílcar Tanuri reconhece o papel desses métodos diagnósticos: “Eles nos ajudam a entender quantos habitantes de uma cidade já contraíram o SARS-CoV-2 em análises epidemiológicas”, aponta. “Na busca de uma vacina, esses testes (especialmente os que detectam os chamados anticorpos neutralizantes) são ótimos para os cientistas saberem se as pessoas ficaram de fato protegidas ou não”.

A médica infectologista e virologista clínica, Nancy Bellei, concorda e ressalta o uso desses testes em estudos populacionais para mostrar a eficácia das vacinas existentes e das que ainda virão.

Os estudos sorológicos e as vacinas

Em um didático bate-papo que aconteceu na plataforma  VivaBem do Uol sobre o papel dos testes sorológicos, especialmente na população vacinada, a médica comenta que são esses estudos que podem determinar a duração da proteção ou a imunização mais adequada para determinado público, como as crianças ou idosos. “Em termos de saúde pública, isso fica ‘na mão’ da sorologia”, enfatiza.

Na plataforma, além de explicações detalhadas sobre as diferentes metodologias de testagem – PCR, antígeno e sorologia, é possível verificar uma linha do tempo da infecção pela Covid-19 e qual o teste indicado para os momentos determinados. A íntegra do conteúdo e da entrevista com a Dra. Nancy Bellei estão disponíveis aqui.

Os pontos de vista expressos neste documento são exclusivamente dos autores.

Tags:

anticorpos neutralizantes, pandemia, sorologia

Compartilhe: