Estudo avaliou o papel da célula NK em portadores de HTLV-1 com Paraparesia Espástica Tropical/Mielopatia

A célula T CD8+ é considerada a principal defesa contra o Vírus Linfotrópico da Célula Humana do tipo 1 (HTLV-1), um retrovírus que está associado a graves doenças neurológicas, degenerativas e hematológicas. Entretanto, a célula chamada “Natural Killer” (NK) também contribui para a produção de citotocinas, e, assim como a T CD8+, é capaz de destruir células infectadas através do mecanismo de citotoxicidade.

Um estudo desenvolvido pelos pesquisadores da Fiocruz Bahia, Edgar M. Carvalho, Maria Fernanda Grassi e Lucas P. Carvalho, em parceria com outras instituições, avaliou o papel da célula NK em portadores de HTLV-1 com Paraparesia Espástica Tropical/Mielopatia (HAM/TSP, sigla em inglês), doença associada a esse vírus, que causa uma degeneração gerando fraqueza em funções motoras e é de difícil diagnóstico. A investigação foi publicada no Journal of Immunology Research.

A pesquisa clínica foi desenvolvida no ambulatório de HTLV do Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos (COM-HUPES/ UFBA), coordenado por Edgar Carvalho, e demonstrou que pacientes com HAM/TSP tem baixa frequência de células NK no sangue periférico e que a frequência dessas células é inversamente proporcional à carga pró-viral. Os estudos funcionais in vitro demostraram ainda que a neutralização da molécula NKG2D, presentes em células NK, aumentam a carga pró-viral, sugerindo que células NK possam ter um papel importante no controle de carga pró-viral em pacientes infectados com HTLV. Com informações da Fiocruz

Tags:

célula NK, célula T CD8+, Vírus Linfotrópico da Célula Humana do tipo 1 (HTLV-1)

Compartilhe: