Beatriz Grinsztejn, médica infectologista e pesquisadora do Instituto Nacional de Infectologia (INI/Fiocruz), foi eleita presidente da International Aids Society para o período 2024-2026

Grinsztejn é a primeira mulher da América Latina a ocupar o cargo

Beatriz Grinsztejn, médica infectologista e pesquisadora do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz) tomou posse nesta terça-feira (2/8) como presidente eleita da International Aids Society (IAS) para o período 2024-2026. Grinsztejn é a primeira mulher da América Latina a ocupar o cargo. O anúncio foi feito durante a solenidade de encerramento da 24º Conferência Internacional de Aids que aconteceu em Montreal (Canadá), evento organizado pela IAS, considerado o encontro internacional mais importante para a comunidade científica, ativistas sociais e gestores públicos da área. A presidente em exercício é a infectologista australiana Sharon Lewin, diretora da Peter Doherty Institute for Infection and Immunity.

Sociedade Internacional de Aids

Fundada em 1988, a IAS é a maior associação de profissionais da área e reúne mais de 12 mil pesquisadores, profissionais de saúde, gestores e representantes de movimentos sociais de 170 países que trabalham em todas as frentes na busca da redução global do impacto do HIV.

Beatriz Grinztejn

Graduada em Medicina pela Universidade Federal Fluminense, Beatriz fez mestrado e doutorado em Doenças Infecciosas e Parasitárias na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Dedicou sua carreira à Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas e Parasitárias, principalmente ao estudo da prevenção e tratamento do HIV/AIDS, coinfecções e comorbidades associadas. Entre suas contribuições destacam-se várias pesquisas importantes para a comunidade LGBTI+ como as que subsidiaram a implementação da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) no Brasil.

Além de chefiar o Laboratório de Pesquisa Clínica em DST e AIDS do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, também atua como docente no curso de pós-graduação Stricto sensu do Instituto (INI/Fiocruz). Líder do Grupo de Pesquisa Clínica e Epidemiológica em HIV/AIDS (Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq), também é consultora do Ministério da Saúde, onde integra a Comissão Assessora para o Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos (CAA). Beatriz é Cientista do Nosso Estado (FAPERJ) e Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

No âmbito internacional, Beatriz é atualmente conselheira da IAS, participa do HIV/AIDS Adult Guidelines Development Group, da Organização Mundial da Saúde, do Therapeutic Advisory Committee da Organização Pan-americana da Saúde, além de integrar redes de pesquisa do NIAID/NIH (EUA) como o AIDS Clinical Trials Group, o HIV Prevention Trials Network, o HIV Vaccine Trials Network e a COVID 19 Prevention Network, ela faz parte do International Advisory Board dos periódicos The Lancet HIV e Journal of the International AIDS Society.

Em maio do ano passado recebeu o Prêmio Ward Cates Spirit outorgado durante o encontro anual da Rede de Ensaios de Prevenção ao HIV (HPTN). A honraria foi entregue por Myron Cohen, investigador principal da rede, em solenidade que contou coma participação de Anthony Fauci, diretor do Instituto de Alergias e Doenças Infecciosas (NIAID) dos Estados Unidos. Com informações da Fiocruz

Tags:

Beatriz Grinsztejn, International Aids Society (IAS)

Compartilhe: