Durante os quatro dias de American Association for Clinical Chemistry (AACC) 2021, serão anunciadas as principais tendências de metodologias diagnósticas e os avanços da medicina mundial. Ao longo da programação, três estudos do Grupo Sabin serão apresentados no evento

Desde 2005 o Grupo Sabin participa do evento e coleciona reconhecimentos na AACC

Até a próxima quinta-feira, 30, as atenções da medicina diagnóstica global estarão voltadas para o maior congresso de medicina laboratorial do mundo, Annual Scientific Meeting 2021, promovido pela American Association for Clinical Chemistry (AACC).

A edição deste ano mais uma vez celebra a relevância da medicina diagnóstica e da evolução do setor no combate à pandemia e vai reunir, de forma virtual, os mais importantes pesquisadores e cientistas do mundo. É uma oportunidade ímpar para a comunidade científica conferir com detalhes as últimas atualizações e inovações em testes clínicos e as mais recentes integrações em assistências à saúde.

Será também nesta edição do encontro que três trabalhos desenvolvidos pelo Grupo Sabin serão apresentados. O primeiro Detection of SARS-CoV-2 in saline solution gargle sample by RT-qPCR, identifica o vírus o SARS-CoV-2 em amostra de gargarejo com solução salina com metodologia RT-PCR, além do estudo genômico Validation of chromosomal microarray analysis in a clinical setting e Upgrading a previous validated RT-qPCR assay for SARS-CoV-2 detection.

Desde 2005 o Grupo Sabin participa do evento e coleciona reconhecimentos na AACC. No ano passado, os estudos Validation of Massive Parallel Sequencing Workflows for Germline Variantes: Method-Based or Analyte-Based Appoach? e o de medicina personalizada, Performance Characteristics of Massively Parallel Sequencing of a Comprehensive Panel of Genes Associated whit Clinical Phenotypes on Samples Obtained from Self-Collect Buccal Swab conquistaram prêmios.

Além disso, em 2016, foram três prêmios e um deles a medalha National Academy of Clinical Chemistry (NACB) concedida ao coordenador de Pesquisa do Laboratório Sabin, Gustavo Barra, pelo exame para a detecção molecular dos vírus da dengue, zika e chikungunya em uma mesma reação. Em 2018, dois prêmios: ‘Jovem Cientista’, concedido à biomédica Dra. Ticiane Santa Rita, pelo trabalho sobre automação completa da detecção de sete mutações clinicamente relevantes em um único processo laboratorial, e o ‘Student Travel Grant’, entregue à Dra. Camila Nobre, pela pesquisa que aponta a causa genética da condição conhecida como esferocitose hereditária. Em 2013, a biomédica e pesquisadora, Dra. Júlia Vasques, ganhou em Houston, a medalha de melhor trabalho científico, na categoria Divisão de Patologia Molecular.

São conquistas importantes da empresa, reconhecida pelo apoio ao conhecimento e investimentos em pesquisas de universidades e centros de referência, na atualização e produção científica de seus colaboradores, e desenvolvimento de estudos para novas metodologias diagnósticas.

Tags:

American Association for Clinical Chemistry - AACC, Grupo Sabin, medicina diagnóstica

Compartilhe: