O mundo agora está tomando medidas para evitar que milhões de toneladas de lixo plástico acabem em aterros sanitários e nos oceanos. Mas com muitos laboratórios científicos ainda dependendo fortemente de plásticos descartáveis, é hora de encontrar maneiras de reduzir

Um departamento de biociências no Reino Unido estimou a geração de cerca de 267 toneladas de lixo plástico em apenas um ano

É difícil perder as manchetes que destacam o impacto negativo dos plásticos em nossa vida selvagem e ecossistemas. Muitos de nós ficamos chocados ao assistir o episódio final de Blue Planet 2, testemunhando pássaros marinhos alimentando seus filhotes com plástico – e as imagens assustadoras de uma mãe golfinho expondo potencialmente seu filhote recém-nascido a poluentes através de seu leite contaminado.

Estima-se que 12 milhões de toneladas de plásticos acabem nos oceanos a cada ano. E seus efeitos são de longo alcance, com o plástico sendo encontrado até mesmo em criaturas que vivem 11 quilômetros abaixo da superfície. Para ajudar a proteger nosso meio ambiente, todos nós precisamos fazer mais para conter esse fluxo. E os cientistas têm um papel fundamental a desempenhar.

Plásticos de laboratório

Pense em quanto plástico você consegue gastar em um dia normal de trabalho no laboratório – incluindo pontas de pipetas, luvas, tubos de plástico – itens que costumam ser usados uma vez e depois jogados fora.

E tudo isso se soma. Um departamento de biociências no Reino Unido estimou a geração de cerca de 267 toneladas de lixo plástico em apenas um ano. Aumentando isso para cerca de 20.500 instituições em todo o mundo envolvidas em pesquisas biológicas, médicas ou agrícolas, isso pode equivaler a 5,5 milhões de toneladas de resíduos de plástico de laboratório – aproximadamente a tonelagem combinada de 67 navios de cruzeiro.

Os cientistas enfrentam desafios únicos para reduzir o desperdício de plástico em laboratório, muitos dos quais justificamos com base na economia de tempo e custos. Não menos importante, os itens descartáveis são estéreis e não precisam ser limpos. E não é tão simples quanto instalar lixeiras para reciclagem, já que muitos itens usados em um experimento acabaram cobertos por coisas que são tóxicas ou perigosas.

Reutilizar, reciclar, reduzir

Pode ser difícil para os laboratórios reduzir sua dependência de plásticos descartáveis. Mas é um problema que não podemos simplesmente ignorar.

Se você está procurando algumas ideias para reduzir a pegada de plástico do seu laboratório, talvez possa mudar para frascos de vidro reutilizáveis ​​- ou promover a reciclagem por meio de iniciativas como o novo programa de reciclagem de luvas de uma empresa, que transforma luvas descartáveis ​​em novos produtos de plástico, como bancos de parque, lixeiras ou até regadores.

Se o seu laboratório depende de água ultrapura engarrafada, por que não considerar substituí-la por um sistema de purificação de água de laboratório interno? Isso não apenas fornecerá a você uma fonte confiável de água purificada, mas, ao mesmo tempo, poderá reduzir o desperdício de plástico. Instalar um sistema de purificação de água também pode economizar tempo e dinheiro – depois de um investimento inicial, os custos de operação subsequentes são geralmente mais baixos do que comprar água engarrafada.

Por que escolher o Elga LabWater?

Somos os especialistas do LabWater, engenheiros especialistas da Elga, químicos e cientistas que estão na vanguarda da inovação tecnológica. Continuamos a introduzir recursos inovadores em nossos sistemas de purificação de água, que são feitos para durar.

Mais informações:
[email protected]

Referência:

Urbina MA, Watts AJR, Reardon, EE. Environment: Labs should cut plastic waste too. Nature 528, 479 (24 December 2015) https://www.nature.com/articles/528479c.

Tags:

Elga LabWater, laboratório, plásticos

Compartilhe: