Informe publicitário

O Diretor da Central Sorológica de Vitória (CSV), Silvio Foletto, comenta a respeito do papel das novas tecnologias durante a pandemia de Covid-19, especialmente a tecnologia molecular isotérmica da Abbott, ID NOW.

Para o executivo, a solução vem ao encontro das suas exigências no controle interno do processo analítico, além de ganhar pontos quando o assunto é a logística da coleta.

Confira a entrevista:

Qual a importância dos testes moleculares nos dias de hoje?
Silvio Foletto
– O que estamos vivenciando dentro do processo laboratorial da Covid-19 é que há um avanço muito grande no advento de novas tecnologias. Além do ID NOW Covid-19, que detecta o RNA do vírus, há outras metodologias que têm trazido qualidade e agilidade para o paciente e para todo o sistema de saúde. Mas ao meu ver, essa solução se sobressai no mercado mundial. Isso por suas características de testagem mais flexíveis, em ambientes de saúde descentralizados, e porque possui um processo analítico tecnológico de 13 minutos com a geração de resultados confiáveis. Isso é ideal para que haja total segurança de todos os envolvidos, em um contexto que pode ser exigido em intervenções cirúrgicas. Em pouco tempo o paciente tem seu resultado e logo os profissionais de saúde podem seguir com a melhor conduta.

Como o ID NOW pode apoiar e beneficiar os laboratórios?
Silvio Foletto
– Entendo que a nova ferramenta, o ID NOW, é excelente não apenas do ponto de vista tecnológico, mas pelo valor que vai nortear os processos laboratoriais no Brasil que até então não dominávamos, seja pela distância, pela agilidade, pelo conjunto do menu consolidado no mesmo equipamento. A ferramenta é rápida, tecnicamente perfeita e confiável. Essa rapidez é decisiva em processos de internação e em pré-cirúrgicos. O ID NOW traz o resultado duas horas antes do paciente entrar para um centro cirúrgico, incluindo a coleta e a análise das amostras. Em princípio, acreditava-se que o ID NOW era uma tecnologia para ser aplicada à beira do leito, hoje eu vejo mais. Enxergo a solução com todos os critérios de qualidade, principalmente no trânsito da fase pré-analítica. Tratando-se da detecção isotérmica de RNA da Covid-19, os laboratórios que detenham rigorosa qualidade pré-analítica podem coletar a amostra biológica e encaminhá-la diretamente para a fase analítica, sem interferências na distância entre essas fases.

Quais as principais características do ID NOW que o diferem de outras tecnologias moleculares?
Silvio Foletto
– O que mais me encantou foi a situação amigável do equipamento e do manuseio. Sou muito exigente em relação ao controle de qualidade analítico e enxerguei nessa tecnologia toda essa habilidade de controle interno do processo analítico. Isso é fundamental. Temos que pensar que hoje, a fase analítica do teste considerado padrão ouro pelas autoridades sanitárias dura de três a quatro horas. Mas entre a coleta nasofaringeal/orofaringeal e o encaminhamento dessa amostra ao laboratório podem se passar até cinco dias, dependendo da localização e das condições. Como analista de bancada posso falar que o ID NOW veio para externar as possibilidades dessa questão, porque a instabilidade é a grande inimiga da sensibilidade, podendo interferir no resultado do ensaio. E sabemos que outras metodologias estão sujeitas a isso. Em um país com as dimensões do Brasil, a logística pode comprometer a qualidade da amostra. Outro ponto positivo do produto é o fato de ser validado no INCQS/Fiocruz, o que soa para mim como uma “certidão com registro em cartório” e me proporciona toda a segurança para usar a tecnologia com os critérios que ela exige.

De modo geral, como o ID NOW pode agregar valor ao sistema de saúde?
Silvio Foletto
– Hoje em dia trabalha-se muito esse conceito da criação de valor em saúde, o que exige um trabalho completo de alinhamento entre todas as partes relacionadas: laboratório, indústria, hospital, operadora de saúde e gestão financeira. E sempre com foco em quem está na ponta da cadeia, ou seja, é necessário relacionar custos a valores tangíveis ao paciente. A entrada do ID NOW vem para contribuir com isso, seja na garantia da saúde do paciente ou evitando que os pagadores do processo sejam onerados. Já o laboratório precisa se preparar para o pós-pandemia com as novas tecnologias, em que o real valor estará na qualidade absoluta sobre a segurança do exame laboratorial, tendo na agilidade do processo o grande diferencial. A tecnologia do ID NOW oferece resultados imediatos, minimizando a possibilidade de um quadro positivo, evitando que o paciente saia do ambiente de saúde sem um resultado confirmado. Entendo que é esse o espaço que a tecnologia vem ocupar.

Tags:

Abbott, ID NOW, Silvio Foletto

Compartilhe: