Utilizando tecnologia de infravermelho, a Nira, desenvolvida pelo Genesis Group em parceria com a Zeit Análises Químicas, realiza no campo análises precisas

A ferramenta utiliza a tecnologia NIR – Near Infrared (Infravermelho Próximo)

A safra de grãos deverá atingir 262,13 milhões de toneladas na temporada 2020/2021, de acordo com a Conab. Com a colheita já encerrada, a soja é destaque com a expectativa de um novo recorde estimado em 135,86 milhões de toneladas, 8,8% superior à safra passada. O resultado garante o Brasil na posição de maior produtor mundial da oleaginosa.

Focados nessa importância e atentos às necessidades da cadeia produtiva, o Genesis Group e a startup Zeit, apresentam ao mercado uma nova solução que permite determinar os teores de proteína e óleo, contidos nos grãos de soja, de forma rápida, prática e precisa. Por meio das análises realizadas pela Nira é possível determinar em poucos minutos os atributos do grão, proporcionando maior poder de decisão na cadeia produtiva.

De acordo com Fernando Araújo de Souza, engenheiro agrônomo e gerente de inovação no Genesis Group, a ferramenta que utiliza a tecnologia NIR – Near Infrared (Infravermelho Próximo), foi desenvolvida com foco na necessidade de conhecer a composição dos grãos. “Com os resultados das análises e os dados técnicos em mãos, é possível fazer escolhas com assertividade e rapidez, garantindo maior eficiência em toda a cadeia produtiva da soja”, destaca.

Tecnologia NIR

De acordo com Renan Pardinho, diretor da Zeit, a tecnologia NIR já está consolidada em outras áreas, trazendo resultados seguros, porém estas análises até então eram realizadas em laboratórios, envolvendo alto custo de equipamentos, e pelo menos 8 horas para se conhecer os resultados.

Os grandes diferenciais da Nira são a rapidez, pois os números são aferidos em poucos minutos, a praticidade de um equipamento portátil que não necessita de energia elétrica ou conexão com internet, podendo operar tranquilamente no campo. “Tomamos o cuidado de desenvolver uma solução prática, confiável e financeiramente viável para atender às necessidades de nossos clientes”, afirma Pardinho.

Agregando valor à produção

Com a Nira todos os elos da cadeia produtiva terão a possibilidade nas próximas safras de conhecer a composição de seus grãos, e com base nesta informação tomar as melhores decisões sobre a comercialização ou utilização deles.

Para os executivos do Genesis Group e da Zeit o mercado de grãos pode, ao longo do tempo, se transformar como o de açúcar se transformou, quando a cadeia passou a negociar a produção levando em conta o ATR (Açúcar Total Recuperável), que representa a capacidade que a cultura tem de converter açúcar ou álcool e não mais por toneladas de cana.

Isso ainda não acontecia, pois o mercado não tinha essa visão da composição do grão de forma rápida. De posse dessas informações as coisas podem começar a mudar. “Por exemplo, consideremos um agricultor que produz soja com 38% de proteína e um outro que produz com 32% de proteína. Aquele que conseguiu 6% a mais não poderia ser recompensado por essa produção?”

Na visão do grupo é relevante o mercado entender que não somente o aumento de produtividade é importante, mas também a qualidade do grão produzido, pois são os teores de proteína e óleo que vão determinar o rendimento industrial, por exemplo. “A Nira visa construir o raio X da qualidade, possibilitamos a realização de análises no campo dando transparência a visibilidade que até então o cliente não tinha”, afirmam Souza e Pardinho.

Solução à disposição

O serviço de análises por meio da Nira já estará disponível comercialmente a partir do lançamento oficial em 15 de julho, para todas as regiões produtoras do país. Os equipamentos são operados por equipes capacitadas e dedicadas para garantir a segurança no processo, oferecendo assim resultados rápidos, precisos e acessíveis.

Tags:

NIR - Near Infrared (Infravermelho Próximo), Nira, soja

Compartilhe: