Testagem é ainda mais importante nesse momento de retomada do convívio social

Embora os adolescentes em geral têm sintomas clínicos mais brandos pelas infecções por Covid-19, os dados da concentração de maior positividade dos testes entre 14 e 17 anos traz um alerta já que, eles podem infectar contatos familiares idosos e familiares

A faixa etária de 25 a 39 anos é a que mais vai aos laboratórios para fazer teste da Covid-19. Essa é a realidade no Grupo Pardini – com sede em Minas Gerais é referência em medicina diagnóstica do país – considerando suas 148 unidades próprias e os mais de 6 mil laboratórios parceiros em todos os estados do Brasil. Entretanto, é na faixa etária de 14 a 17 anos que a taxa de positividade está maior. Para a infectologista do Grupo, Melissa Valentini, esse dado está relacionado a não vacinação dos adolescentes. “Essa população ainda não está vacinada e, quanto mais velho o adolescente, mais ele se comporta como o público adulto, saindo às ruas”, comenta Melissa Valentini.

Embora os adolescentes em geral têm sintomas clínicos mais brandos pelas infecções por Covid-19, os dados da concentração de maior positividade dos testes entre 14 e 17 anos traz um alerta já que, eles podem infectar contatos familiares idosos e familiares. “O cenário é preocupante, a partir do momento que o jovem volta a trazer o vírus para dentro de casa. Mesmo com os pais e avós vacinados, todos sabem que nenhuma vacina imuniza 100% contra nenhuma doença. Os dados mostram também que, a taxa de positividade começa a subir na população acima de 60 anos, mostrando a importância do reforço da vacinação com a terceira dose”, alerta a infectologista.

O epidemiologista da rede de laboratórios Pardini faz outra ponderação. “A variante Delta infecta com maior frequência os vacinados, do que as variantes que nós lidamos anteriormente. Embora com duas doses da vacina, formas graves e fatais da doença sejam raras, a infecção não é. E nós temos grande parte da população adulta apenas com uma dose. A decisão do Ministério da Saúde de retirar a contraindicação da vacinação contra a Covid-19 dos adolescentes foi muito importante e nós esperamos que esse grupo possa ser rapidamente incluído no calendário da vacina, mesmo aqueles sem comorbidades”, ressaltou José Geraldo.

Para concluir, o vice-presidente do Grupo reforça o que vem falando desde o início da pandemia: “Testar, testar e testar – é a única estratégia certeira para o combate ao coronavírus. Os testes são de extrema importância seja para direcionar os esforços da saúde pública, para definir o comportamento social da pessoa infectada ou para alinhar o melhor tratamento para os indivíduos. A testagem é ainda mais importante agora, nesse momento de retomada do convívio social”, encerrou Alessandro Ferreira da rede de laboratórios.

Tags:

covid-19, Grupo Pardini, não vacinação dos adolescentes

Compartilhe: