Debate sobre a técnica revolucionária acontece no dia 11 de junho

O uso da técnica CRISPR, apesar de seu enorme potencial, esbarra em aspectos éticos e de biossegurança

Debates acerca do uso de técnica que tem revolucionado o campo da genética serão o foco do Simpósio Edição de Genomas com Repetições Palindrômicas Curtas Agrupadas e Regularmente Interespaçadas (CRISPR): avanços para a saúde humana e suas implicações éticas e regulatórias. O evento será realizado no dia 11 de junho, das 13h às 18h, no Auditório Nobre da Escola de Engenharia da UFMG, campus Pampulha. É aberto ao público e as inscrições devem ser feitas por meio do preenchimento do formulário eletrônico.

O evento tem como foco a CRISPR, também conhecida como CRISPR-Cas9, técnica que há cerca de sete anos tem revolucionado o campo da genética. Por ser extremamente eficiente, de rápida aplicação e baixo custo, ela passou a ser largamente empregada por cientistas na edição de genes de micro-organismos, plantas, animais, ou, mesmo, em humanos, incluindo a modificação do genoma em células germinativas e em embriões.

Em duas mesas-redondas serão abordados os recentes avanços relacionados à edição de genomas, as promessas e controvérsias da manipulação genética em humanos e em embriões e os limites éticos e questões legais relacionadas às pesquisas. O uso da técnica CRISPR, apesar de seu enorme potencial, esbarra em aspectos éticos e de biossegurança, uma vez que ainda não há estudos suficientes sobre os impactos da edição de genes para as gerações futuras ou se o uso da técnica pode gerar mutações genéticas prejudiciais à vida no planeta.

Tags:

CRISPR-Cas9, genética, genoma

Compartilhe: