Dia 27 de junho é o Dia Internacional do Diabético e neste dia tão importante para a área da saúde, um alerta para a importância de um correto diagnóstico do diabetes.

As complicações provocadas por esta doença matam milhões de pessoas a cada ano ao redor do mundo e o número de doentes cresce a cada ano, não se esquecendo das pessoas que são doentes e ainda não foram diagnosticadas.

Como todos sabem, a hemoglobina glicada (HbA1c) é o melhor teste para diagnosticar e monitorar os pacientes diabéticos ou pré-diabéticos pois a HbA1c reflete a ligação irreversível da molécula de glicose à uma porção exclusiva da hemoglobina durante todo o ciclo de vida das hemácias, que em condições normais, é de aproximadamente 120 dias.

Porém, nem todos as pessoas são iguais

Existem várias condições clínicas do paciente que podem impactar no resultado. Vamos considerar a principal: a presença das hemoglobinopatias e talassemias, que são variantes genéticas das hemoglobinas, e que em muitos casos diminuem a sobrevida das hemácias e alteram o resultado de A1c.

Muitas vezes essas condições clínicas são assintomáticas e os portadores podem nem saber que as possuem, logo, se nestes casos reportarmos somente o resultado numérico do teste, sem informar estas situações clínicas, o médico pode tomar uma conduta terapêutica errada com base no resultado do teste e isso pode retardar o diagnóstico e o tratamento da doença.

Uma técnica que seja capaz de identificar essas condições clínicas do paciente e reportá-las ao médico se torna imprescindível neste cenário e a capilaridade é a melhor opção do mercado por detectar as variantes da hemoglobina e talassemia. Nenhuma técnica de separação do mercado é capaz de detectar as duas anormalidades.

Ou seja, não podemos tratar nossos pacientes apenas como um número, principalmente no que diz respeito ao tratamento do diabetes, que exige uma atenção especial, principalmente na população brasileira que devido à grande miscigenação racial tem grande prevalência de hemoglobinas variantes e talassemias.

Tags:

capilaridade, diabetes, Hemoglobina Glicada HbA1C, Sebia

Compartilhe: